Mídias Sociais

Política

Vereador de Macaé recua no intuito de concorrer a vice-prefeito e anuncia que disputará próxima eleição para o Legislativo

Avatar

Publicado

em

 

Depois de afirmar que não pretendia concorrer à vaga de vereador e revelar sonho de ser vice-prefeito, o vice-presidente da Câmara de Macaé, Julinho do Aeroporto (MDB), afirmou ter recuado na decisão e anunciou que disputará eleição para o Legislativo municipal em 2020

Em sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Macaé na manhã desta quarta-feira, 10, o vice-presidente da Casa, vereador Julinho do Aeroporto (MDB), anunciou que não pretende se candidatar à prefeitura da cidade nas eleições municipais de 2020.

Durante o Grande Expediente, o parlamentar, que já havia dito que não voltaria a se candidatar para o Legislativo municipal, ventilando a possibilidade de concorrer a vice-prefeito, confirmou nesta quarta que recuou da iniciativa depois de sua votação nas eleições gerais de 2018.

Na ocasião, quando concorreu a uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), Julinho somou 10.623 votos, sendo o 12º candidato a deputado estadual mais votado dentro da sua legenda, que elegeu 5 deputados.

O vice-presidente da Câmara afirmou ainda que apesar de ter recuado em seus anúncios nos últimos anos e até mesmo durante as eleições para o Governo do Estado, quando chegou a se aproximar do PSC do então candidato e atual governador Wilson Witzel, vai procurar um partido forte para concorrer ao Legislativo macaense no ano que vem.

Julinho aproveitou sua fala ainda para criticar o ex-vereador de Macaé e atual deputado estadual Welberth Rezende (PPS), que, segundo o vereador, teria dito em uma reunião em Campos dos Goytacazes, que Julinho e o também vereador Paulo Antunes (MDB) não fariam parte de seu “projeto político”.

“Eu quero dizer para ele que eu não quero fazer parte do projeto político dele. Mas não quero mesmo. Até porque ele é candidato a prefeito, eu não sou. Que ele tem um compromisso com os vereadores, claro que tem, mas ele já disse que o compromisso dele é com o PPS. Não tem mais compromisso com ninguém. Isso ele disse e eu estava presente quando ele falou isso. Então, aquele que ajudou o deputado na eminência de que ele vai ajudar na eleição de vereador, eu acho que precisa botar as barbas de molho. Então quero dizer para o deputado, que Deus ajude no seu mandato. Que ele faça um bom mandato”, continuou.

O “alerta” aos colegas de plenária se refere a um acordo entre diversos vereadores de Macaé, que teriam se unido em prol da campanha de Welberth a deputado, o que, em contrapartida, lhes daria prioridade em suas pautas, o que, de acordo com o vereador emedebista, não vai acontecer.

Por fim, Julinho criticou também a postura do deputado, que não veio à Câmara de Macaé para as audiências públicas que contaram com a presença de representantes da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) para tratar do enorme problema de falta de água em diversas localidades do município.

Na opinião do vereador emedebista, a presença do deputado para interceder junto à estatal do Governo do Estado e junto ao próprio governo era importante para ajudar a resolver problemas tão graves para a população que sofre com a falta de água.

Empossado deputado estadual do Rio em 1 de fevereiro desse ano, Welberth, que sempre se mostrou alheio às críticas e alfinetadas enquanto esteve no Legislativo macaense, vem trabalhando junto ao Governo do Estado.

Entre as ações e articulações do deputado em defesa de Macaé, estão a reabertura da Coordenadoria Regional de Educação, fechada desde 2011, uma audiência pública da Comissão de Econômica, Indústria e Comércio da Alerj, da qual Welberth é presidente, em prol do mercado de aviação do Estado do Rio, além de requerimentos na Alerj para reforçar o efetivo do 32º Batalhão de Polícia Militar (32º BPM), responsável pela segurança em Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Quissamã e Carapebus.

Mais lidas do mês