Mídias Sociais

Política

Sucesso da Brasil Offshore 2019 é comemorado pela Prefeitura de Macaé e pela indústria do petróleo

Avatar

Publicado

em

 

Encerrada na última sexta-feira, 28 de junho, a 10ª edição da Brasil Offshore deixou como legado para a indústria do petróleo o sentimento de transformação, de uma real retomada do setor que enfrentou uma de suas piores crises em meados de 2014.

É o que acredita a organização da feira, que divulgou que durante os 4 dias de evento, as 600 marcas expositoras e os mais de 50 mil visitantes puderam presenciar conteúdos altamente técnicos e qualificados com os nomes mais renomados do setor.

“O ambiente de negócios proporcionou que os profissionais entrassem em contato com novas tecnologias, produtos e serviços para otimizar os investimentos”, avaliaram os organizadores do evento.

Para o Prefeito de Macaé, Dr. Aluizio (sem partido), a feira destacou a importância das reservas de gás natural da Bacia de Campos para um novo ciclo de desenvolvimento econômico não apenas para a cidade, mas para o Estado do Rio.

“Agora vamos discutir o gás, e estamos preparados para transformar gás em energia elétrica. Energia elétrica e gás em mercado livre”, disse Dr. Aluizio, falando a respeito da Usina Termelétrica Marlim Azul, que está sendo construída em Macaé e que funcionará abastecida pelo gás natural da Bacia de Campos.

Para a organização, a Brasil Offshore também reforçou a importância da Bacia de Campos na manutenção e na revitalização dos campos maduros, e na prospecção de novas aplicações à cadeia produtiva do petróleo e gás.

“Acredito que o nosso objetivo foi atingido. Apresentamos as oportunidades de retomada para o setor de óleo e gás e agora o nosso foco será na transformação. Transformar para produzir. Este será o tema da próxima edição da feira”, analisou Daniel Pereira, gerente da Brasil Offshore.

De acordo com a Prefeitura de Macaé, cidade que abriga a feira há 20 anos, o evento já se consolidou como chave para o desenvolvimento e fortalecimento da indústria de óleo e gás, tendo conseguido nesta edição uma movimentação de mais de 300 milhões de reais, superando as expectativas da organização.

Realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Rodada de Negócios na Brasil Offshore superou as expectativas com 22 empresas âncoras com demandas de compra que selecionaram mais de 300 empresas fornecedoras para participarem da Rodada.

“Isso demonstra o reaquecimento do mercado de petróleo e gás no Brasil e em Macaé”, disse a gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan e diretora geral da ONIP, Karine Fragoso.

Ao todo foram 196 milhões de reais gerados na Rodada de Negócios e mais de 110 milhões de reais em negócios provindos dos expositores, atingindo 306 milhões de reais para os próximos 6 meses.

Mais lidas da semana