Mídias Sociais

Política

Eleições para deputado federal e estadual prometem mobilizar cidades da região

Avatar

Publicado

em

 

Pelo menos 13 candidatos da região estão confirmados na disputa por vagas na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), em busca de recuperar a representatividade políticas de cidades que, nas últimas décadas, se tornaram fundamentais para a economia do estado

O período para as campanhas eleitorais visando as eleições gerais marcadas para o dia 7 de outubro mal começaram e já mobilizam diversas cidades da região, principalmente Rio das Ostras, Macaé e Campos dos Goytacazes, que ultimamente têm se sentido esquecidas no cenário estadual e federal.

Cidades que cresceram nas últimas décadas graças aos investimentos da indústria do petróleo e que, desde 2014, ano em que estourou a crise internacional do setor, viram despencar sua arrecadação e aumentar sua dependência de recursos estaduais e federais, que, muitas vezes, vêm de articulações políticas com o Congresso e a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Sem representantes de peso no cenário estadual e federal, apesar da presença constante, nos últimos anos, dos deputados estaduais Christino Áureo (PP), de Macaé, e Janio Mendes (PDT), de Cabo Frio, a região agora lança diversos candidatos com perfis bem diferentes em tempos de falta de recursos, apoio e investimentos em áreas como Saúde, Educação e Segurança Pública, setores que foram sucateados no Estado do Rio nos últimos anos.

Para tentar recuperar um pouco seu prestígio político neste cenário, a região lança pelo menos 9 candidatos a deputado federal e 13 candidatos a deputado estadual, onde a lista de representantes, apesar de existir, não tem conseguido muito pela região.

Na disputa por uma vaga na Câmara Federal, estão com pedidos de registro de candidatura já efetuados junto à Justiça Eleitoral, Adrian Mussi (SD) e Deucimar Talon (PRP), por Rio das Ostras, Felício Laterça (PSL), Christino Áureo (PP), Danilo Funke (PSOL) e Ricardo Salgado (DC), por Macaé, e os irmãos Clarissa Garotinho (PROS) e Wladimir Garotinho (PRP), além do presidente da Câmara Municipal, Marcão Gomes (PR), por Campos dos Goytacazes.

Desses, apenas Clarissa busca a reeleição, enquanto Christino, que passou anos mais ligado ao Executivo, durante os governos Sérgio Cabral (MDB) e Pezão (MDB), agora tenta voos mais altos, mirando Brasília.

Os demais, uns com mais experiência política, como nos casos de Adrian, Deucimar, Danilo e Marcão, outros com menos, como nos casos de Laterça e Waldimir, apostam na renovação política para tentar alcançar uma cadeira no Congresso.

Na disputa pela Alerj, a região já tem os vereadores de Macaé, Dr. Luiz Fernando (PTC), Welberth Rezende (PPS), Marcel Silvano (PT), Julinho do Aeroporto (MDB), e Val Barbeiro (PHS), além do ex-vereador Chico Machado (PSD), com pedidos de registro efetuados, aguardando julgamento. A única exceção é Welberth, que lançou pré-candidatura após a confirmação do deputado Comte Bittencourt (PPS) como candidato a vice-governador na chapa do ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), e ainda não figurava entre os pedidos de candidatura registrados até a tarde desta terça-feira, 21.

Mas Macaé não é a única a emplacar nomes na corrida pelas cadeiras da Alerj. Campos, Quissamã, Rio das Ostras, Araruama e Cabo Frio também lançaram candidatos a deputado estadual, alguns, inclusive, tentando a reeleição.

Entre eles está o ex-prefeito de Quissamã, Armando Carneiro (PV), os vereadores de Rio das Ostras, Betinho (PODE) e Carvalhão (PV), e os deputados estaduais, Janio Mendes (PDT) e Silas Bento (PSL), por Cabo Frio, e Marcia Jeovani (DEM), por Araruama. Mais um nome que aparece na lista de candidatos a representar a região é a candidata a prefeita derrotada nas últimas eleições suplementares de Rio das Ostras, Winnie Freitas (PSOL), que vem ganhando destaque na cidade.

Curiosamente, a região que, nas últimas décadas, esteve às voltas com o domínio do MDB, não tem nenhum candidato do partido de Temer e Pezão, que, aliás, seguem batendo recordes de rejeição e desaprovação de seus governos a cada nova pesquisa eleitoral.

Mais lidas da semana