Mídias Sociais

Política

Câmara Municipal de Macaé aprova LDO para exercício de 2019 com 59 emendas parlamentares

Publicado

em

 

Presidente da Câmara, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), elogia trabalho dos vereadores durante tramitação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019 e pede atenção com fake news política macaense

A Câmara Municipal de Macaé aprovou, em sessão ordinária da manhã desta terça-feira, 23, o projeto de lei que versa sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2019.

Com 59 emendas dos vereadores aprovadas depois de recesso de 5 minutos para acordo entre as bancadas, todas as emendas votadas em bloco para agilizar os debates e o resultado de sua votação, o texto já emendado foi discutido por poucos vereadores, entre eles os líderes do governo, Julinho do Aeroporto (MDB), e da oposição, Maxwell Vaz (SD), além de Dr. Luiz Fernando (PTC) e do presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PPS).

A matéria, que serve como base para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2019, que, aliás, já foi enviado pela prefeitura para a Câmara, mesmo antes da aprovação da LDO 2019.

Durante os debates, Maxwell e Dr. Eduardo criticaram ainda a utilização das notícias falsas, as chamadas fake news, espalhadas pelas redes sociais, quando o presidente do Legislativo comentou sobre as críticas da oposição de que o governo não cumpre a peça orçamentária.

De acordo com Dr. Eduardo, os vereadores que trabalharam na elaboração das emendas fizeram a parte deles, independente do governo cumprir ou não. Ainda segundo o presidente da Câmara, os vereadores devem se preocupar com as críticas, principalmente as falsas, espalhadas pela internet, que culpam o parlamento municipal pelos problemas da cidade.

“já votamos 27 LDOs, 26 LDOs. E LDO é isso mesmo. Cabe a gente, ao vereador que está na rua todo dia, que está em contato com a população, vereador que gosta de fazer política, e é importante isso, e Maxwell, tem que gostar política no celular, hem. Porque essa eleição deu uma nova ordem. Não tem negócio de imprensa, não tem negócio de jornal, televisão, conversar com os outros, isso tudo passou a ser insignificante. De verdade ou de mentira, é o que vem no celular. É fake news, fale news, fake news, mas ‘todo mundo tem direito de fazer uma fake news’. Você mentir na frente da pessoal, olhando olho no olho, pode ter uma resposta, pode ter uma resposta que atinja rápido a quem está mentindo, que ajude a desmascarar. Mas aqui, meu irmão, você viu, o estrago já está feito. Então, eu até que não uso muito celular, mas vou ter que aprender, até por causa das fake news, para tentar desmentir o que eles não tem o menor pudor de colocar. Isso aí não tem pudor nenhum. Colocam sem a menor preocupação com a verdade”, criticou Dr. Eduardo, pegando um gancho na fala de Maxwell.

O líder da oposição aproveitou o viés levantado pelo presidente do Legislativo e pediu condenação aos propagadores de fake news, lembrando que a prática é crime eleitoral federal e deve ser denunciada para levar seus autores à cadeia.

“Mas eu falei isso tudo só para pegar um à parte quando o senhor falou do celular para dizer que precisamos criar mecanismos para isso. Porque eu vejo vereadores sendo atingidos. Não é um só não, todos. Notícias falsas e repetidas. E a gente não consegue resolver isso não. Todos nós somos atingidos. Então eu acho que vereador está aqui trabalhando, 60 emendas a LDO, vem o orçamento (LOA), vai ser duzentas emendas. E se não vai fazer, o prefeito que vai ter que explicar depois ao eleitorado, à população, ao cidadão porque não fez”, defendeu o vereador.

Por fim, o projeto já emendado foi aprovado por unanimidade dos votos dos presentes, e agora segue para o Executivo, que vai apreciar o novo texto para decidir se sanciona a LDO 2019 ou se veta parcial ou totalmente.


 

Mais lidas do mês