Mídias Sociais

Destaque

Justiça marca júri popular do caso Dandara, morta pelo ex-namorado em Macabu

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Dandara Ramos foi morta com dois tiros em setembro do ano passado. Gabriel Barros confessou o assassinato.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro marcou para o dia 13 de novembro deste ano o julgamento de Gabriel de Barros Rangel, assassino confesso da jovem Dandara Ramos. O crime aconteceu em setembro do ano passado em Conceição de Macabu. A jovem foi morta por dois tiros. O júri popular vai acontecer no Fórum do município, onde ocorreu o homicídio. Gabriel, que é filho de um ex-prefeito da cidade, está preso na Cadeia de Itaperuna.

Relembre o caso

Três dias após o sumiço de Dandara, moradores da cidade, familiares e amigos fizeram um protesto na porta da 122ª Delegacia de Polícia pedindo por justiça e agilidade nas investigações. Gabriel, que era o principal suspeito, confessou a autoria enquanto prestava depoimento.

O corretor de imóveis, de 26 anos, informou o local onde fez a ocultação do cadáver, em uma mata fechada na RJ- 196, próximo a localidade de Macabuzinho.  O local é de difícil acesso e para chegar, policiais, bombeiros e peritos precisaram caminhar aproximadamente uma hora por mata fechada e morro íngreme. Ele guiou as equipes até o local.

Uma suposta gravidez da jovem teria sido o motivo para Gabriel ceifar a sua vida. Essa foi a versão dada pela polícia e pelo próprio assassino confesso.  No entanto, o laudo do Instituto Médio Legal (IML), apontou que não estava esperando um filho.


 

Mais lidas do mês