Mídias Sociais

Justiça

Júri condena a 12 anos de prisão motorista que atropelou, arrastou e matou um ciclista em Cabo Frio

Bertha Muniz

Publicado

em

 

O julgamento começou por volta das 10h desta quarta-feira (14), no Fórum do município, e a sentença foi proferida pouco antes das 17h. 

O júri popular condenou a 12 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, Mário Fernando Gomes, motorista que atropelou, arrastou e matou um ciclista em setembro de 2014, em Cabo Frio. A O julgamento começou por volta das 10h desta quarta-feira (14), no Fórum do município, e a sentença foi proferida pouco antes das 17h.

A juíza Janaína Pomposseli, da 2ª Vara Criminal de Cabo Frio,  registrou na sentença que o réu tem bons antecedentes criminais e, por isso, ele [Mário] vai poder recorrer da decisão em liberdade.

O crime aconteceu por volta das 22h de um domingo, dia 28 de setembro de 2014, quando Celso Brito Lima, de 60 anos, foi atropelado no cruzamento da Avenida Wilson Mendes com a Rua Samuel Bessa, no bairro Jacaré, e foi arrastado por mais de dois quilômetros, antes de ter tido o corpo abandonado na Rua Capri, no Jardim Excelsior.

Um frentista que trabalha no posto de combustíveis em frente ao local onde ocorreu o acidente, e que afirma ter flagrado o atropelamento, relatou que o condutor do automóvel estava em baixa velocidade e chegou a desacelerar o veículo para fazer um retorno, mas que não teria parado em momento algum. Ele também afirmou que várias pessoas que haviam acabado de sair de uma igreja estavam em um ponto de ônibus no local do ocorrido, e que elas teriam sinalizado e gritado para o motorista parar o veículo.

O acusado, afirmou que não viu o momento em que colidiu com o ciclista e nem as pessoas sinalizando para que ele parasse, e que diminuiu a velocidade ao perceber que algo estava agarrado ao fundo do carro. Segundo o relato, ele teria seguido mais alguns metros achando que o objeto havia se desprendido do carro, e afirmou que, na subida da Ponte Deputado Márcio Corrêa, viu faíscas saindo por baixo do carro e achou que o cano de descarga ou alguma outra peça teria se soltado do veículo.

As câmeras ajudaram nas investigações e, quase um mês depois, a polícia conseguiu identificar o motorista. Apesar de ter confessado o crime, Mario Fernando respondia em liberdade por homicídio doloso.  Ele agora será transferido para um presídio na capital.

 

 

Mais lidas da semana