Mídias Sociais

Caderno D

As belas negras de Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Reverenciar um dos tipos de beleza mais presente em nosso país, mostrando que é possível ser linda sem seguir os padrões internacionais de beleza, está a cada dia mais em alta. Em Macaé, acontece um evento super bacana há anos e que faz a diferença no segmento estético.

Nesta semana, mais uma edição do concurso A Mais Bela Negra de Macaé, vai acontecer para eleger a mais entre tantas mulheres bonitas que estão participando.

Quem promove essa iniciativa é o Movimento Negro Tribo dos Malês 21, que este ano ficou um pouco maior, devido a alta procura.

Ressaltar a beleza negra do jeitinho como ela é, está super na moda e nunca vimos tantas mulheres, assumindo seus cachos e desfilando pelas ruas valorizando suas lindas cores. O movimento de valorização da autoestima é fundamental por diversos aspectos, entre eles, além da questão pessoal, é uma iniciativa que resgata a própria cultura negra, que é a base da nossa descendência, o berço da nossa genética. Destacar a importância dos costumes seria até irrelevante, já que sabemos o tamanho que esta cultura representa para o nosso país, para o mundo. "Estamos na sétima edição deste concurso, e a cada ano que passa recebendo uma aprovação da população cada vez maior. No início, enfrentamos muitas dificuldades, pois ninguém acreditava nessa ideia, mas graças a Deus isso foi mudando e, hoje, esse concurso é um sucesso", ressaltou a presidente do Movimento, Marilene Ibrahin.

Tudo começou em 2009, quando a presidente do Movimento Negro Tribo dos Malês 21, observava que era preciso acontecer um resgate muito sério na autoestima das mulheres negras que moram em várias comunidades em Macaé. Além de começar a colocar em prática o que já vinha observando há anos, Marilene queria mais, queria que essas mulheres soubessem a importância, as histórias, os contextos envolvidos na cultura negra e não apenas a questão física. Aos poucos, ela foi conseguindo motivar dezenas de mulheres e assim surgiu a ideia de oficializar todo este trabalho, através do concurso que já é muito aguardado na região.

Marilene nunca teve intenção em lucrar com seu projeto e toda a ajuda vinda de empresas, instituições, pessoas físicas e jurídicas, são encaminhadas com muito critério para os diversos projetos que o Movimento cuida como o Fome Não Tem Cor e Mulheres em Luta.

Mas voltando ao concurso, ele vai acontecer nesta quinta(30), as 20h, e as três colocadas vão receber os seguintes prêmios: uma Tv de 50 polegadas para a primeira colocada, um notebook para a segunda e um tablet para a terceira. A quarta será homenageada com o título de Simpatia Negra.

As 16 finalistas estão muito ansiosas com a sétima edição do concurso, que a cada ano revela uma disputa bem acirrada, já que dezenas de mulheres lindíssimas estão descobrindo o concurso e querem participar.

Quem quiser prestigiar este belo evento, é só comprar os ingressos na própria secretaria do Clube. As pulseiras custam R$10, e quem quiser, pode levar pacotes de fraldas geriátricas das marcas Big Fral ou Plenitude, M ou G e trocar pelos ingressos, ajudando mais ainda os projetos do Movimento. "As pulseiras serão numeradas, e com este número o público estará concorrendo a uma maravilhosa cesta com produtos da Brasil Cacau, um kit de produtos de O Boticário e dois convites para a festa de 25 Anos do Programa Pagode Samba Show", finaliza Marilene.

Mariana Abrantes

Mais lidas da semana