Mídias Sociais

Sem categoria

Delegado da PF em Macaé nega favores políticos e garante que assumirá Superintendência, no Rio

Publicado

em

 

Felício Laterça afirmou que as denúncias ocorreram  por uma briga de poder que iniciou quando foi convidado para o cargo. 

 

O delegado da Polícia Federal de Macaé, Felício Laterça, indicado para o cargo de Superintendente Regional da PF no Estado do Rio de Janeiro, comentou na manhã desta sexta-feira (2), as acusações feitas contra ele em uma matéria veiculada ontem (1º) no Jornal Nacional.

Ao lado dele estava o prefeito de Macaé, Dr Aluizio, que também foi citado na reportagem. O delegado pediu para que a imprensa regional cumprisse a missão de trazer a verdade dos fatos que envolvem tanto ele, quanto o governo municipal. As acusações contra Laterça, segundo ele, ocorreram por uma disputa interna dentro da própria superintendência da PF, no Rio.

“Fizeram uma matéria tendenciosa com o intuito de desmerecer o meu trabalho, talvez por uma briga de poder que iniciou quando fui convidado para o cargo. Minha indicação causou desconforto em muita gente dentro da própria PF. Espero que eu tenha espaço para falar, inclusive ao vivo, para que minha fala não seja distorcida”, disse o delegado, ressaltando que não há investigação contra ele no Mistério Público Federal (MPF).

Em 2016, a Prefeitura de Macaé e a superintendência da PF, firmaram um contrato de comodato para a mudança das instalações da PF. O antigo prédio, ficava no Centro da cidade e tinha uma estrutura precária. Na época da mudança de prédios houve uma denúncia anônima contra Laterça, que foi apurada pelos corregedores da própria PF.

Após o parecer enviado ao MPF, foi decidido que não iriam dar continuidade à denúncia por falta de provas. A reportagem do JN sugeria que a mudança de prédios seria uma suposta troca de favores envolvendo o irmão do delegado e até o prefeito de Nova Iguaçu, Farid Abraão, do PTB.

“Mais uma vez eu repudio qualquer investigação no MPF envolvendo meu nome. Isso é uma mentira. Não estou na mira do Ministério Público, devo estar na minha de bandidos corruptos, que são comumente a quem eu incomodo. Acho que existe um receio de pessoas da superintendência da PF no estado com a minha chegada, pois irei incomodar pessoas que não estavam sendo incomodadas”, pontuou Laterça.

Laterça comentou ainda que irá investigar de onde vazaram as informações confidenciais cedidas à Rede Globo. “Essas pessoas não vão passar em branco, os responsáveis por essas mentiras irão responder por todas as acusações”, afirmou.

Ainda de acordo com o delegado, não haverá mudança em sua indicação para o cargo de superintendente da PF. “Sou ficha limpa. Não há nada anotado no meu histórico. Minha nomeação deverá sair em breve”, encerrou Laterça.

Polêmica sobre o prédio

Dr. Aluízio explicou que o prédio cedido para a Polícia Federal de maneira nenhuma poderia ser uma “troca de favores” com o delegado e o proprietário do prédio, por dois motivos. O primeiro é que o prédio, já está alugado para o município desde 2006 -, quando o primeiro contrato foi assinado pelo então prefeito Riverton Mussi-, e ele entrou no cargo em 2013. O segundo é que o contrato de comodato entre o município e a Polícia Federal não passou pelo Delegado Dr. Felício, por ser de competência exclusiva da superintendência estadual.

“O município já pagava 30 mil na sede antiga que estava em frangalhos e, neste prédio todo aqui, pagávamos 56, e conseguimos baixar o aluguel para 40. E este prédio é compartilhado entre a Polícia Federal e a Secretaria de Obras. Logo, com a transferência, estamos economizando 46 mil por mês”, explicou o prefeito.

 

Autor: Bertha Muniz

 


 

Mais lidas do mês