Mídias Sociais

Política

Vereadores de Macaé falam em favor da mobilização dos caminhoneiros em todo o país

Avatar

Publicado

em

 

Câmara Municipal de Macaé tem momento de apoio às mobilizações promovidas pro caminhoneiros em todo país contra a alta carga tributária sobre os combustíveis

Em sessão ordinária da Câmara Municipal desta terça-feira, 29, vereadores de Macaé utilizaram parte o todo o seu tempo de fala durante o Grande Expediente para se pronunciar favoráveis às paralisações dos caminhoneiros que afetaram o abastecimento em todo país.

Segundo os parlamentares Marcel Silvano (PT), Robson Oliveira (PSDB) e Maxwell Vaz (SD), que comentaram o assunto ao fim da sessão desta terça-feira, a categoria dos caminhoneiros precisa respeitada, assim como o povo brasileiro, que sofre com a alta tributação proposta pelo governo, não apenas nos combustíveis.

“Estamos vendo e vivendo momentos muito delicados; delicados para a vida da gente, delicados para o povo brasileiro, delicados para a democracia. A gente está vendo a mobilização dos caminhoneiros a toda a consequência que isso está trazendo para a vida da gente. Mas tem nisso tudo uma questão imediata. Combustível no Brasil é muito caro! A gente não pode pagar mais de 5 reais na gasolina. E isso tudo é culpa da política do Pedro Parente, presidente da Petrobras, e do presidente Michel Temer (PMDB). Essa política precisa mudar! O gás de cozinha está caro! As pessoas estão voltando a cozinhar com fogão à lenha, usando carvão, para não usar o gás de cozinha, que está muito caro!”, comento o petista.

Seu ex-colega de partido, que em outubro de 2013 deixou o PT para se filiar ao Solidariedade, o líder da oposição, Maxwell Vaz, foi mais enfático em seu apoio às reivindicações da classe caminhoneira.

Para o vereador, é preciso entender o que esses trabalhadores estão pleiteando antes de criticar a mobilização. De acordo com o parlamentar, a categoria está sendo massacrada pela carga tributária imposta pelo governo nos combustíveis em todo o país, o que levou à paralisação da categoria no último dia 21 e que já dura 9 dias.

“Esta categoria está sendo massacrada pelo governo. Um governo corrupto, um governo omisso, e um governo desqualificado. Um governo que impõe ao povo uma carga tributária absurda, sem precedentes. Hoje 57% da gasolina são de impostos abusivos. E os deputados estão calados. A maior parcela dessa tributação é do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é um imposto estadual, e que come 33% da gasolina. 33% do preço da gasolina é de imposto”, falou Maxwell.

O vereador, que é aposentado da Petrobras, criticou o fato da empresa fazer tantos investimentos em tecnologia e infraestrutura e lembro que o preço da gasolina produzida pela estatal é de pouco mais de 2 reais, sendo o restante apenas de impostos federais e estaduais.

A Petrobras vai até as profundezas do solo marinho para buscar petróleo; utiliza aviões, navios, plataformas, oleodutos, gasodutos, e o preço é em torno de 2 reais. Como é que no posto a 5 reais? O problema é o posto? Não. O problema é imposto”, falou o vereador, usando uma analogia entre a altíssima carga tributária sobre os combustíveis imposta pelos governos federal e estadual em todo o país.

Para Maxwell, o povo precisa agir com tranquilidade na hora de procurar os produtos e serviços que estão em falta, desde gêneros alimentícios até combustíveis, para não serem coniventes com os abusos governo.

“É hora de todos os brasileiros serem caminhoneiros também; e preparar para essa questão. Temos que ter calma. Temos que enfrentar esse governo. Um governo que arrecada bilhões em imposto e arrecada para que se a gente não vê serviço nenhum prestado pelo governo, a educação está ruim, a saúde está ruim? Aí tem gente que diz, ‘ah, mas eles [os caminhoneiros] estão pedindo só pelo diesel!’. E nós não podemos nos unir a eles e pedir pela gasolina? Não temos força? E não só pedir pela gasolina. Pelos alimentos, pelos remédios. Os brasileiros estão sofrendo com uma administração pública medieval. Tiradentes fez um movimento contra a tributação que era de 20%. Hoje é de 50% na gasolina e 40% no diesel. E nós não fazemos nada! Uma bicicleta no Brasil tem 50% de imposto. Para quê? Com os impostos que a gente paga, a gente tinha que ter estrada sem pedágio, saúde e educação de primeira. Não temos nada disso. Aí vem o governo e diz que ‘ah, mas se a gente abaixar o imposto, tem que aumentar outro imposto para não prejudicar a arrecadação. Arrecadação para que? Para continuar pagando a corrupção?”, questionou o parlamentar.

Outro que falou sobre a situação foi o vereador e radialista Robson Oliveira, que lembrou as dificuldades sofridas pela classe dos caminhoneiros, mas ressaltou que a mobilização feita categoria, que já há dias incomoda e muito o governo Temer, pode ser um alerta para toda a população, de que existe uma saída.

“Não dá para passar batido o que está acontecendo com o Brasil. A greve dos caminhoneiros que foram para as ruas, que deixaram de ir para as suas casas para mostrar que existe sim um jeito de mudar esse país. A gente aprova”, declarou Robson.

Mais lidas da semana