Mídias Sociais

Política

Vereadores de Cabo Frio utilizam tribuna para denunciar ação do Sepe Lagos

Publicado

em

 

Sindicato espalhou por toda a cidade cartazes contra os vereadores, que votaram a favor do PL 213/2017.

 

A guerra travada pelo Sindicato dos Profissionais da Educação – Sepe Lagos contra os 11 vereadores de Cabo Frio, que votaram a favor do Projeto de Lei 213/2017, foi um dos principais assuntos abordados na sessão desta quinta-feira, 26, na Câmara Legislativa.

O projeto permite a reeleição dos diretores escolares do município. Porém, na visão do sindicato, a aprovação desse projeto garante a “eleição vitalícia” dos diretores. E por isso, os vereadores estariam votando “contra a educação”. Com esse pensamento, a categoria decidiu alarmar a cidade contra esses vereadores. Para isso, foram espalhados centenas de cartazes por toda a cidade, denunciando a atitude dos vereadores. O Sindicato também utilizou as redes sociais para propagar a ideia.

Diante dessa ação, os vereadores utilizaram a tribuna para reforçar sua decisão com relação a votação e criticar a postura do sindicato. Na ocasião, a vereadora Alexandra Codeço expôs que ouviu alunos, responsáveis, professores, diretores e até mesmo o Sindicato e votou conforme sua consciência achou correto. A vereadora disse ainda que não se arrepende do seu voto. Mas, que lamenta a atitude do sindicato.

“O que eu não acho justo é fazer uma sujeira no nosso patrimônio público como foi feito. Um ato de vandalismo. O Sepe não pode ser uma representatividade de dez pessoas, que faz todo esse estardalhaço. Eu peço ao Sepe que reflita sobre essas atitudes”, enfatizou a vereadora.

O vereador Jefferson Vidal apoiou a fala da vereadora. Na ocasião ele denunciou ainda que a Casa Legislativa ouviu os diretores e o Sepe, mas que em momento nenhum os diretores ameaçaram os vereadores, diferente do Sepe, que não só ameaçou os representantes do legislativo, como cumpriu colocando o nome dos mesmo nos muros da cidade.

A tribuna também foi utilizada pelo vereador Vinicius Corrêa, que do mesmo modo disse que sua consciência estava limpa. E destacou que em um sistema de democracia faz parte a diversidade de opiniões. “Na democracia nós temos que saber perder também. Se não, não é democracia”, reforçou o vereador.

O último vereador a utilizar a tribuna foi o vereador Waguinho, que também lamentou a atitude do sindicato. Para o vereador essas atitudes precipitadas acabam reduzindo a credibilidade do próprio sindicato.

 

 

 

Mais lidas da semana