Mídias Sociais

Política

Vereador de Macaé volta a criticar armamento da Guarda e militarização

Publicado

em

 

Vereador Marcel Silvano (PT) voltou a falar sobre a necessidade de políticas públicas transversais, ou seja, que dialoguem com várias áreas, para o enfrentamento do problema da violência, tanto no município, quanto no estado e no país

Em sessão ordinária da Câmara Municipal de Macaé que durou menos de uma hora, nesta quarta-feira, 13, o vereador Marcel Silvano (PT) voltou a criticar o armamento da Guarda Municipal (GM) e a militarização como medidas de segurança pública.

“Tem muita gente defendendo que dar armas para os guardas municipais e transformá-los em alvos da criminalidade é a solução; que chamar o exército e colocá-lo nas ruas de Macaé é a solução; que colocar o caveirão na Malvinas é a solução. Não é solução! Nunca foi. É só olhar os números do Rio, que está fazendo isso para ver que não é a solução”, defendeu o parlamentar durante discurso no Grande Expediente.

O vereador petista citou ainda medidas previstas no Plano Diretor de Macaé, elaborado em 2006 e revisado em 2017, para lembrar que políticas públicas voltadas para o lazer e a recreação, como atividades esportivas e culturais, além da preservação e da ampliação de espaços públicos, são medidas de segurança muito mais eficazes do que o enfrentamento armado.

“É só a gente olhar para quantas praças estão abandonadas na nossa cidade e olhar para quem está ocupando esses espaços. Não é novidade que esses espaços estão sendo ocupados pelo tráfico de drogas”, ponderou Marcel.

Sessão curta – Assim como acontecera na terça-feira, 12, em que a sessão durou pouco mais de uma hora, nesta quarta, os vereadores de Macaé voltaram a realizar uma sessão mais curta que o normal, com poucas matérias na pauta de votação.

Apesar dos poucos requerimentos votados e aprovados nesta semana, a Câmara ainda segue sem colocar em pauta matérias como a formulada pela Comissão Especial criada em 2017 para propor a revisão do Regimento Interno (RI) da Casa.

Segundo os vereadores Marcel Silvano e Julinho do Aeroporto (PMDB), o relatório elaborado pela comissão já teria, inclusive, passado pelas comissões legislativas e estaria pronto para vir à pauta, o que ainda não aconteceu.

LDO – Enquanto algumas pautas seguem em tramitação na Casa Legislativa, outra importante matéria dará um importante passo para chegar à discussão e votação, que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019 (LDO-2019), que traça direcionamentos para o planejamento orçamentário da cidade para o próximo exercício.

Atendente às exigências legais da tramitação da matéria, a Câmara Municipal promove nesta quinta-feira, 14, uma audiência pública para debater a matéria com representantes do governo com a população interessada.

O evento está marcado para acontecer na nova sede da Câmara, no Palácio Natalio Salvador Antunes, na Virgem Santa, a partir das 10h.


 

Mais lidas do mês