Mídias Sociais

Política

Sessão solene de aniversário de Macaé tem homenagens, confiança na retomada da economia e polêmica envolvendo presidente Bolsonaro

Avatar

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé realizou, na noite da última segunda-feira, 29 de julho, sua sessão solene em comemoração aos 206 anos de fundação da vila de Macaé, com a marcada por várias homenagens e pela presença de diversas autoridades municipais e do Estado.

Presidida pelo vice-presidente da Casa, o vereador Julinho do Aeroporto (MDB), a solenidade de aniversário começou com discursos sobre a retomada do crescimento econômico e os desafios dos tempos atuais para o município e o país.

“Depois da recente crise do petróleo, nossa cidade retoma o crescimento no setor offshore, especialmente com a produção de gás”, salientou o vereador Dr. Márcio Bittencourt (MDB) após a execução dos hinos, nacional e municipal.

Para o vereador Marcel Silvano (PT), que falou em seguida, o momento da política requer cuidado em vista dos recentes ataques e questionamentos à democracia e às instituições democráticas.

“São tempos em que a democracia é questionada. Que os agraciados ajudem Macaé a ser um modelo de desenvolvimento, conhecimento e justiça social”, pediu o vereador de oposição.

Ex-vereador do município, o deputado estadual Chico Machado (PSD) também esteve presenta à celebração, mas preferiu, em seu discurso, enaltecer as homenagens e os homenageados à adentrar alguma polêmica política.

“Homenageamos aqui hoje também pessoas que adotaram Macaé como sua cidade. Elas assumem conosco a grande responsabilidade que temos pelo desenvolvimento do Norte e Noroeste do Estado”, falou Chico Machado.

Também deputado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) e ex-vereador macaense, Welberth Rezende (PPS) voltou a mencionar a importância da produção de gás natural para esse novo momento econômico da cidade, mas ressaltou sua luta pela segurança pública.

“Temos trabalhado por isso e também pela segurança pública entre outras áreas”, contou o carioca Welberth, que, apesar de toda história política construída em Macaé, recebeu o título de cidadão macaense durante a solenidade.

Na sessão solene pelo aniversário do município, foram entregues 75 homenagens no Salão Nobre da Câmara Municipal, que não teve a presença do presidente da Casa, o vereador Eduardo Cardoso (PPS), que, por motivos de saúde, não pôde comparecer à cerimônia na qual foram concedidos títulos a pessoas que se destacaram no cenário social, político e religioso macaense.

A celebração não deixou passar a grave declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a respeito do paradeiro de um dos milhares de desaparecidos e mortos durante a Ditadura Militar, declaração que foi lamentada pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Macaé, o advogado Fabiano Paschoal.

A declaração do presidente foi dada enquanto comentava o desfecho do processo que considerou Adélio Bispo isento de pena devido à doença mental, ficando o autor da facada no presidente durante a campanha eleitoral, internado em um manicômio em vez de ir preso.

Bolsonaro dissera ao comentar a sentença que se o presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, quisesse, ele mesmo revelaria o destino do pai do jurista, Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, que desapareceu durante a Ditadura Militar.

“A OAB não é contra o governo. Ela é a favor da democracia”, disparou o Fabiano Paschoal.

Mais lidas da semana