Mídias Sociais

Política

Representantes da indústria do petróleo comemoram sucesso da Brasil Offshore 2019, em Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Com o fim da Brasil Offshore 2019, na última sexta-feira, 28 de junho, a indústria do petróleo, agora mais confiante na retomada do desenvolvimento do setor no país, agora se volta para as mudanças no mercado de gás natural no Estado do Rio e no país.

Segundo a organização da 10ª edição da feira, que acontece em Macaé há 20 anos, sendo uma das mais importantes do setor de óleo e gás no mundo, o evento ressaltou o otimismo da indústria, o reaquecimento do setor e a retomada das perspectivas positivas para o cenário nacional de óleo e gás.

Para Alejandro Donoso, Key Account da Continental, que esteve presente na Brasil Offshore 2019, o futuro do mercado deve ser promissor nos próximos anos, muito devido ao apoio que o governo federal vem dando para o setor.

“Estamos vendo uma melhora e acredito que seja também pelo apoio que o governo vem demonstrando com perspectivas positivas para o mercado brasileiro. Para nós, está sendo um prazer participar da feira porque divulga não só nossa marca como demonstra também o que é o mercado offshore”, comentou Donoso.

Já o diretor de O&G da Porto do Açu Operações, Antonio Primo Ferreira, elogiou a qualidade da feira, que em 4 dias, movimentou mais de 300 milhões de reais em negócios, superando as expectativas dos organizadores do evento.

“A Brasil Offshore é uma feira extremamente importante para a Região Norte Fluminense, berço do setor de óleo e gás e onde estão as principais empresas que movimentam essa engrenagem. A feira possibilita a reunião de todo o ecossistema da indústria, incluindo parceiros em potencial para o Porto do Açu, que tem se consolidado como principal polo do setor de óleo e gás do país. O Complexo do Açu é, hoje, uma plataforma one stop shop que oferece possibilidade de negócios para uma cadeia de bens e serviços de óleo e gás, incluindo a recepção de produtos, transformação e distribuição, como no caso da geração de energia”, analisou o diretor da Porto do Açu Operações.

Para o executivo de contas Tiger Rentank, Ralph Rocha, que há 10 anos atua no setor e que acompanha feiras de óleo e gás em Macaé, mas também, no Rio de Janeiro e em outras cidades do mundo, foi de grande importância a visibilidade gerada durante a Brasil Offshore 2019.

“Nós somos sempre lembrados porque sempre somos vistos, e isso é muito importante. Não só os grandes players do mercado, mas também os pequenos puderam ver que a empresa está fortalecida e pronta para essa retomada de negócios. Macaé continua forte no setor, não só de forma geográfica, mas também na presença das empresas que estão retomando”, parabenizou Ralph.

Ao todo, foram mais de 1,5 bilhão de reais gerados em duas décadas de Brasil Offshore, período que contou com a presença de mais de 2.500 marcas e 200 mil profissionais com grande poder de decisão e efetiva capacidade para concretizar negócios.

“Resultado de sua excelência na realização do evento, a Brasil Offshore é reconhecida por reunir empresas de toda a rede produtiva do setor petrolífero em um ambiente altamente técnico e voltado para a aceleração dos negócios, em um momento de reaquecimento na economia. Nesta edição comemorativa, o principal objetivo atingido foi o fortalecimento da rede de fornecedores e preparando-os para atender as demandas e projetos das operadoras vencedoras dos leilões, em um ambiente altamente qualificado com oportunidades únicas de negócios e aperfeiçoamento profissional”, avaliou a organização da feira.

Mais lidas da semana