Mídias Sociais

Política

Representante da ABESPetro faz alerta pela revitalização de campos maduros na Bacia de Campos

Publicado

em

 

Indústria estaria pronta para investir na produção, segundo Alejandro Duran

Tunan Teixeira

 

Com a Brasil Offshore 2017 acontecendo em Macaé, os olhos da indústria do petróleo se voltam ainda mais para a cidade, reconhecida como Capital Nacional do Petróleo, por sua vocação tecnológica para o setor.

E conforme o Prefeito Dr. Aluízio (PMDB) já havia anunciado depois de participar de um seminário sobre óleo e gás em Brasília, há alguns meses, a indústria do petróleo está realmente pronta para retomar os investimentos, principalmente na Bacia de Campos.

“A revitalização de campos maduros pode resultar num acréscimo de até 25 milhões de barris de petróleo por dia”, revelou o presidente da Schlumberger Brasil e representante da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro), Alejandro Duran, durante uma conferência técnica realizada na abertura do evento.

Segundo Duran, a indústria está pronta para voltar a crescer e a Brasil Offshore, terceira maior feira do petróleo do mundo, é o principal momento para consolidar a retomada dos negócios do setor.

A expectativa é pelas projeções otimistas do mercado sobre os leilões agendados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que acontecerão em setembro deste ano.
Durante a palestra, o presidente da Schlumberger Brasil apresentou medidas voltadas para o setor que podem ser solucionadas a curto, médio e longo prazo.

“Com um mínimo impacto ambiental, o rejuvenescimento de campos onshore e offshore é fundamental para a continuidade da produção a curto prazo”, informou Duran.
Considerada o principal elo entre os fornecedores que compõem a cadeia do petróleo local e as grandes operadoras de óleo e gás no mundo, a ABESPetro, que conta com 48 empresas associadas, estaria tentando negociar com a Petrobras, que tem concentrado investimentos no Pré-Sal, uma abertura maior do mercado para que empresas de capital privado possam investir nos campos maduros da Bacia de Campos, o que, segundo fontes da prefeitura, poderiam gerar mais de 10 mil empregos imediatos na cidade na região.
Além das principais empresas da cadeia mundial do petróleo, a Brasil Offshore 2017 também reúne prefeitos e representantes dos municípios de Carapebus, Quissamã, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, São João de Meriti, Itaboraí, Tanguá, Maricá, Niterói e Arraial do Cabo.

Foto: Ana Chaffin

Mais lidas da semana