Mídias Sociais

Política

Primeira pesquisa depois da decisão do TSE que tirou Lula do páreo apresenta crescimento de Ciro Gomes e Marina Silva

Publicado

em

 

Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (REDE) crescem, chegam a 12% em primeira pesquisa de intenções de voto para presidente sem Lula (PT), e encurtam distância de Jair Bolsonaro (PSL)

Na primeira pesquisa de intenções de voto para presidência da república depois da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de rejeitar o pedido de registro de candidatura do ex-presidente Lula (PT), o resultado aponta crescimento de Marina Silva (REDE) e, principalmente, de Ciro Gomes (PDT).

Como já acontecia nas pesquisas anteriores, em cenários sem Lula, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) aparece na liderança, com 22% das intenções de votos, mas, agora, seguido mais de perto por Marina e Ciro, que ficaram empatados com 12%.

Quem também apresentou crescimento em relação às pesquisas anteriores foi Geraldo Alckmin (PSDB), que aparece com 9% na pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope).

Em quinto lugar, vem Fernando Haddad (PT), nome que deve substituir Lula na chapa da coligação entre PT, PCdoB e PROS. O ex-prefeito de São Paulo aparece com 6% das intenções de votos, também apresentando crescimento em relação aos seus resultados em pesquisas anteriores.

Em seguida, aparecem Álvaro Dias (PODE) e João Amoedo (NOVO), com 3%; Henrique Meirelles (MDB), com 2%; e Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU) e João Goulart Filho (PPL), com 1%. Cabo Daciolo (PATRI) e Eymael (DC) ficaram abaixo de 1%.

A pesquisa do Ibope foi realizada entre os dias 1 e 3 de setembro, e segundo informou o Ibope, em nota divulgada pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), do governo federal, e, pela proximidade com a decisão do TSE de barrar a candidatura de Lula, na madrugada do último sábado, 1, deixou o ex-presidente de fora.

“Diante disso, na manhã de sábado, antes da realização da pesquisa, e para estar de acordo com o julgamento e as determinações do TSE, o Ibope não pesquisou o cenário com Lula”, expôs o Ibope na nota.

Contratada pelo jornal O Estado de São Paulo e pela TV Globo, a pesquisa ouviu 2.002 eleitores, em 142 municípios, tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e está registrada no TSE sob o número BR-05003/2018.

Neste cenário, 29% dos entrevistados declararam a intenção de votar em branco ou nulo, enquanto 9% disseram que não sabiam em quem votariam ou não quiseram responder a pesquisa.

2º Turno – Como já vem sendo previsto por analistas políticos, a liderança de Bolsonaro é derrubada quando testados cenários do deputado federal do Rio com outros candidatos na disputa de um eventual 2º turno.

Os resultados comprovam a fala de Alckmin publicada pelo jornal Folha de São Paulo, em 22 de agosto desse ano, quando o ex-governador de São Paulo declarou que “o sonho de todo mundo é ir com Bolsonaro para o segundo turno”.

Em todos os cenários, o candidato campeão das gafes nesse período de campanha eleitoral acabou derrotado, exceto quando enfrentou Haddad, quando os dois acabaram empatados segundo a margem de erro da pesquisa (36% e 37%). Ciro venceria por 44% a 33%, Marina levaria por 43% a 33% e Alckmin, por 41% a 32%.

Os resultados são reflexos de outros dados da pesquisa realizada pelo Ibope, onde Bolsonaro também lidera disparado, mas no quesito “Rejeição”. Enquanto os demais candidatos apresentaram índices entre 11% e 26%, o deputado federal aparece com 44% de rejeição, muito à frente do segundo lugar, que é Marina Silva, com 26%.

Em seguida aparece Haddad, 23%; Alckmin, 22%; Ciro, 20%; Meirelles, Cabo Daciolo e Eymael, 14%; Álvaro Dias, Boulos e Vera, 13%; Amoêdo, 12%; e João Goulart Filho, 11%.


 

Mais lidas do mês