Mídias Sociais

Política

Prefeito de Casimiro de Abreu envia à Câmara projeto para reajustar salário dos servidores

Avatar

Publicado

em

 

Prefeito Paulo Dames (PSB) ressalta que apesar das dificuldades financeiras da região, município está conseguindo cumprir seus compromissos fiscais

O Prefeito de Casimiro de Abreu, Paulo Dames (PSB), enviou para a Câmara Municipal um projeto de lei para reajustar o piso salarial dos servidores municipais em até 30,5%, embora o percentual do reajuste varie de acordo com a categoria de cada profissional.

Com o reajuste, a prefeitura explica que os cálculos de benefícios, como triênio e gratificações, passarão a ser feitos com base nos novos vencimentos, passando a ter os valores acrescidos também.

A expectativa do governo municipal é de que os parlamentares se debrucem sobre a matéria e consigam acelerar a tramitação para que o projeto de lei seja votado para que o benefício já seja pago aos servidores em janeiro de 2019.

De acordo com o projeto, terão o maior reajuste os servidores que recebem complemento para equiparação dos vencimentos ao salário mínimo, passando a receber como salário base o novo mínimo federal de R$ 1.006,00, para o próximo ano.

Entre os cargos que terão maior reajuste estão o de guarda municipal, o de agente de serviços gerais, o de merendeira, de motorista e de vigia, entre outros cargos. O benefício será para todos os servidores que não tiveram reajuste na atual gestão.

“Enquanto muitos municípios da região estão com dificuldades para fechar as contas de 2018, nós conseguimos, com planejamento, responsabilidade e o mais importante, sem comprometer o orçamento e os serviços públicos para o ano que vem, vamos encerrar este ano honrando mais esse compromisso com os servidores”, disse o prefeito.

A matéria foi apresentada na última terça-feira, 18, na Câmara, que deu início à tramitação. A matéria ainda será avaliada pelas comissões legislativas e poderá receber emendas dos vereadores antes de ser discutida e votada. Caso aprovada, a matéria retorna ao Executivo, que poderá vetar total ou parcialmente, ou sancioná-la, fazendo valer o aumento já no início do ano que vem, como quer a prefeitura.


 

Mais lidas do mês