Mídias Sociais

Política

Político macaense pode estar mais próximo de assumir uma cadeira na Alerj em 2019

Publicado

em

 

Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro pode ter 2 representantes de Macaé e 2 de Campos dos Goytacazes em legislatura que começa em fevereiro desse ano

Ao que parece, a cidade de Macaé está perto de ganhar mais um deputado estadual neste início de mandato, o ex-vereador e candidato a prefeito derrotado em 2016, Chico Machado (PSD), que pode ficar com uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) já a partir de fevereiro deste novo ano.

A informação, que já havia sido ventilada pelo presidente do MDB de Macaé, André Longobardi, que parabenizou o ex-vereador pela eleição em uma publicação em sua página do Facebook, há algumas semanas, mas que não foi confirmada pela Justiça Eleitoral.

O assunto voltou às manchetes fluminenses pela coluna Extra, Extra, do jornal Extra, do Rio de Janeiro, escrita pela jornalista Berenice Seara, que insiste em decisão do ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que teria deferido a candidatura de Felipe Peixoto (PSD) a deputado estadual.

Com o deferimento e a validação dos mais de 14 mil votos conseguidos pelo niteroiense Felipe Peixoto, os números para calcular as cadeiras de cada partido na Alerj sofreriam novas alterações, já que, no fim do ano, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio (TRE-RJ), também baseado em decisão do TSE, deferiu a candidatura de Rubens Bomtempo (PSB), o que levou Renan Ferreirinha (PSB) para uma vaga na Alerj, enquanto o vereador carioca Carlo Caiado (DEM) ficou fora.

Caso a conta dos simpatizantes do PSD esteja correta, e Chico realmente assumir uma cadeira na Alerj, quem perderia dessa vez seria justamente o maior partido da Assembleia, o PSL dos Bolsonaro, que ficaria com 12 cadeiras ao invés das 13 iniciais, com a saída do vice-prefeito de Saquarema, Pedro Ricardo, que voltaria ao Executivo.

O político do PSL, aliás, segue com expectativas em relação a se manter no cargo já que o Ministério Público Eleitoral (MPE) ainda não teria se manifestado sobre o caso de Felipe Peixoto, que teve suspensa condenação por uso ilegal de meios de comunicação durante eleição de 2012, em que disputava a Prefeitura de Niterói contra o ex-prefeito Rodrigo Neves (PDT), preso em 10 dezembro acusado de participar de um esquema de corrupção ligado a empresários do setor de transportes que teria desviado quase 11 milhões de reais dos cofres públicos de Niterói, entre 2014 e 2018, segundo investigação realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ).

Se conseguir a cadeira, Chico Machado será o segundo deputado estadual nesta legislatura que se inicia com forte ligação com Macaé e com a região, fazendo companhia ao agora ex-vereador, Welberth Rezende (PPS), e aos deputados estaduais ligados ao município de Campos dos Goytacazes, Bruno Dauaire (PPR) e Wladimir Garotinho (PPR).


 

Mais lidas do mês