Mídias Sociais

Política

Matéria que permite saque do FGTS por trabalhador que pedir demissão avança no Senado

Publicado

em

 

Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado federal aprovou projeto de lei que permite ao trabalhador o resgate do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), mesmo quando pedir demissão

O Senado federal deu andamento, nesta quarta-feira, 11, à tramitação de uma proposta que permite ao trabalhador sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) a quem pediu demissão do emprego.

O Projeto de Lei do Senado 392, de 2016 (PLS392/16), com esse objetivo, foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) da Casa. Atualmente, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) já prevê o resgate de 80% do FGTS em casos de demissão por acordo entre patrão e empregado, mas não permite o resgate em caso de pedido de demissão do trabalhador, o que o projeta tenta corrigir.

Como o projeto foi apreciado em caráter terminativo, caso não haja apresentação de recurso para análise do tema no plenário do Senado, o texto seguirá diretamente para apreciação na Câmara Federal.
Para o relator da matéria na CAS, senador Paulo Paim (PT-RS), este é mais um passo rumo à “correção de uma distorção histórica” na legislação que trata do FGTS, que buscava restringir o acesso a esses recursos que são do trabalhador.


 

Mais lidas do mês