Mídias Sociais

Política

Maré muda e Henrique Meirelles pode ser confirmado como candidato à presidência pelo MDB

Publicado

em

 

Ex-ministro da Fazenda que trocou o PSD pelo MDB, em março deste ano, Meirelles pode vencer desconfiança interna e ter seu nome confirmado em convenção partidária, marcada para 2 de agosto

Depois de circularem notícias a respeito da fragilidade da pré-candidatura à presidência do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), o partido parece ter mudado de ideia às vésperas de sua convenção partidária, marcada para o próximo dia 2 de agosto.

As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 12, pela agência internacional de notícias Reuters, que revela que o clima interno no partido mudou e a convenção pode confirmar a candidatura de Meirelles apesar do fraquíssimo desempenho do ex-ministro nas pesquisas eleitorais, onde Meirelles chega, na maioria dos casos, a apenas 1%.

“Melhorou [o clima]. [Meirelles] Deve vencer a convenção”, afirmou uma das fontes da Reuters que, segundo a agência, há uma semana, demonstrava ceticismo sobre a situação do candidato.

A afirmação da fonte sugere que as peregrinações de Meirelles para convencer os delegados estaduais da viabilidade de seu nome têm surtido efeito nos últimos dias, e a simpatia por uma candidatura própria, cresceu dentro do partido, que não tem uma candidatura própria à presidência há 24 anos.

Mesmo com os resultados recentes do candidato nas pesquisas eleitorais continuarem no mesmo patamar de 1%, Meirelles pode estar perto de repetir o feito de Orestes Quércia, lançado candidato à presidência em 1994, quando terminou o 1º turno com apenas 1,24% dos votos válidos, terminando o pleito em 6º lugar.

Na última semana, fontes ouvidas pela Reuters apontaram que ainda não havia consenso sobre manter a candidatura de Meirelles ou partir para uma campanha independente, sem apoiar candidato algum à presidência.

A agência internacional de notícias diz que, apesar da cúpula do partido e o Palácio do Planalto trabalharem pela candidatura do ex-ministro da Fazenda, parte das bancadas no Congresso, que também têm votos na convenção, não se entusiasmava com a ideia.

No mês passado, fontes da agência chegaram a dizer que os delegados estaduais do MDB acreditavam ainda que, com a pior rejeição da história para um presidente, a presença de Michel Temer (MDB) na campanha poderia reduzir ainda mais as chances de qualquer candidato do partido, mesmo nas disputadas para governador.

Desde que sua pré-candidatura foi anunciada, Meirelles se dedicou a visitar o máximo de estados para se reunir com delegados e lideranças regionais do MDB e convencê-los de que seria um bom negócio para o partido ter seu nome nas urnas.

O fato de a Executiva do MDB ter definido, nesta quinta-feira, a data da convenção, mesmo que para os últimos dias do período permitido pela Justiça Eleitoral, que se encerra em 5 de agosto, seria um sinal de que um acordo para ratificar a candidatura de Meirelles foi conseguido, segundo a Reuters.

Na segunda-feira, 9, o partido havia divulgado uma data indicativa para a convenção em 4 de agosto, mas ela precisava ser confirmada pela Executiva, o que acabou não acontecendo. Conforme a Reuters, mais importante do que a mudança do dia, para o dia 2, teria sido a confirmação da realização da convenção.

De acordo com uma das fontes ouvidas pela agência internacional de notícias, até a semana passada, não havia consenso, e se o entusiasmo interno com Meirelles continuasse baixo, o MDB nem mesmo iria marcar a convenção, que só é necessária se o partido apresentar candidato ou decidir pelo apoio por uma aliança.


 

Mais lidas do mês