Mídias Sociais

Política

Juíza de Silva Jardim proíbe que deputado preso assuma cargo na Alerj mesmo se for solto 

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Justiça ainda determinou medidas cautelares à Anderson Alexandre (SD), que mesmo solto, terá o bloqueio de R$ 297,273,29 em suas contas. 

A Justiça do Rio proibiu, nesta quinta-feira (14), o deputado estadual Anderson Alexandre (SD), de assumir o cargo de parlamentar mesmo que seja solto. Ele é um dos seis deputados estaduais do Rio presos e que ainda não tomaram posse. A decisão é da juíza Daniella Correia da Silva, titular da Comarca de Silva Jardim. No documento, a magistrada afirma que o parlamentar está impedido de assumir qualquer função pública até o fim do processo.

Por 7 a 0, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) havia absolvido nesta quarta-feira (13), o deputado estadual, Anderson Alexandre (SDD), das acusações da Procuradoria Regional Eleitoral do Rio. Preso preventivamente desde novembro do ano passado, junto com seu ex-chefe de gabinete Cláudio Renato Rocha da Silva e com o presidente da Câmara Roni Luiz Pereira da Silva, o ex-prefeito de Silva Jardim venceu as eleições de outubro.

Além de ser condenado à inelegibilidade logo depois de ter o nome confirmado para um assento na Assembleia Legislativa, Alexandre é acusado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) de receber uma "doação" de R$ 150 mil para a campanha de reeleição em 2016, em troca de favorecimento em contratos futuros com a prefeitura.

Além disso, o ex-prefeito de Silva Jardim responde a um processo é criminal. Segundo a acusação, Anderson Alexandre teria favorecido empresas em contratos administrativos celebrados enquanto ele era prefeito de Silva Jardim e responde pelos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato e fraude em licitação. Nesse caso, o deputado eleito conseguiu habeas corpus, mas ainda não deixou a cadeia por causa do outro processo.

A juíza responsável ainda determinou medidas cautelares ao acusado, que mesmo solto, terá o bloqueio de R$ 297,273,29 em suas contas e a proibição que ele assuma cargos públicos.

 

Mais lidas da semana