Mídias Sociais

Política

Ex-Governador do Rio estaria negociando delação premiada para evitar pena maior

Avatar

Publicado

em

 

Preso há 134 dias, ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), estaria negociando delação premiada com o Ministério Público Federal

 

Tunan Teixeira

 

O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), estaria negociando delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) para entregar nomes do Judiciário e do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) envolvidos no escândalo de corrupção das obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), que resultou na prisão de Cabral, em novembro de 2016.

Depois de 133 dias na prisão, o ex-governador estaria tentando, assim, evitar a pena de pelo menos 50 anos, a que estaria sujeito pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As informações são do jornal Valor Econômico.

Cabral foi preso sob as acusações de ter recebido mais de 200 milhões de reais em propina para fechar contratos públicos e de ser chefe de uma organização criminosa. A prisão ocorreu durante a Operação Calicute, em ação das forças-tarefa da Operação Lava Jato, do Rio e do Paraná.

A esposa do governador, Adriana Ancelmo, presa dias depois do marido, conseguiu nesta quarta-feira, 29, direito a prisão domiciliar confirmado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ela voltou para seu amplo apartamento no dia em que a Policia Federal e o MPF realizaram a operação Quinto de Ouro, na qual foram presos 5 dos 7 conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ), e 1 conselheiro aposentado, o ex-prefeito de Nova Iguaçu e ex-presidente da Corte, Aluizio Gama, além de ter envolvido o nome de um dos principais aliados de Cabral, o Presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e presidente regional do PMDB do Rio, Jorge Picciani.

Mais lidas da semana