Mídias Sociais

Política

Evento com alunos da rede pública municipal de ensino encerra comemoração pelo 13º aniversário da Lei Maria da Penha em Macaé

Avatar

Publicado

em

 

A Prefeitura de Macaé vem colhendo frutos do trabalho de conscientização de crianças e jovens de sua rede pública de educação realizado pelo Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) sob a coordenação da advogada Jane Roriz.

Nesta quarta-feira, 28, um encontro na Cidade Universitária reuniu alunos do Ciep municipalizado Leonel de Moura Brizola, que apresentaram trabalhos ligados ao tema, encerrando as comemorações do 13º aniversário da Lei Maria da Penha.

Durante o encontro, além da exposição e de diversas apresentações dos alunos, como canto, dança e teatro, aconteceu também a entrega do Selo Maria da Penha às escolas municipais que participaram do projeto.

De acordo com a coordenadora do Ceam, Jane Roriz, as apresentações dos alunos abordaram, de uma forma criativa e incisiva, a luta pelo fim da violência doméstica contra a mulher.

“A ideia é formar multiplicadores da informação. Não dá só para passar. É preciso plantar. A violência contra a mulher não pode ser normalizada. A proposta do projeto, a princípio, é atender adolescentes do 8º e 9º anos, porém, nossa orientação é que eles multipliquem a informação para alunos de outros anos, familiares e, também, sociedade”, contou a advogada.

Segundo a prefeitura, um dos destaques do evento foi um curta-metragem produzido pelo Colégio Municipal Maria Letícia Santos Carvalho, que mostra uma família onde a mãe é vítima de violência psicológica e emocional, e que o próprio filho realiza a denúncia.

Para enriquecer ainda mais o vídeo, que pode ser encontrado nas redes sociais, o curta ainda exibe o processo que envolve a Patrulha Maria da Penha e o Ceam, duas ferramentas fundamentais de apoio às vítimas.

O projeto foi uma iniciativa do Ceam, do curso de Direito da Universidade Federal Fluminense na cidade (UFF/Macaé), da Patrulha Maria da Penha, da Secretaria de Educação, e do Juizado Especial Adjunto Criminal/Juizado de Violência Doméstica.

Para realizar o atendimento às vítimas com qualidade e segurança, o Ceam conta com uma rede de multiplicadores, incluindo profissionais da 123ª Delegacia de Polícia (123ª DP) de Macaé, do 32º Batalhão de Polícia Militar (32º BPM), da Defensoria Pública, do Juizado Criminal, do Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ), da Secretaria de Saúde, e do Hospital Público Municipal (HPM). Mais informações sobre a Lei Maria da Penha também estão disponíveis através dos telefones (22) 2796-1328 e  (22) 99707-2085, para contato via WhatsApp.

Mais lidas da semana