Mídias Sociais

Política

Esclarecimento sobre o empréstimo é adiado porque presidente da Câmara não autoriza abertura da plenária, em Cabo Frio

Avatar

Publicado

em

 

Dezenas de pessoas estiveram presentes para a audiência pública marcada para acontecer nesta segunda-feira, 16, na Câmara dos Vereadores de Cabo Frio, mas ao invés de tirarem suas dúvidas sobre o empréstimo encontraram o prédio de portas fechadas.
O encontro foi marcado pelo Vereador Dr. Adriano com o intuito de esclarecer para o cabofriense como funcionará, de fato, o empréstimo de até 200 milhões pedido pelo prefeito Alair Corrêa. O vereador fez o pedido verbal e encaminhou um ofício para Câmara solicitando a plenária, o que claramente não foi atendido.
"Essa mensagem não é clara. Não fala sobre a taxa de juros. E tem um artigo que é muito comprometedor, colocando todo o orçamento do município como garantia de pagamento do empréstimo. Então, era um modo de trazer transparência a comunidade e até saber a opinião deles, afinal, no final das contas é o povo quem vai pagar", explicou o vereador.
A servidora Antônia saiu as pressas do trabalho para chegar a tempo da sessão e se sentiu extremamente desrespeitada. "É uma tremenda falta de respeito com a gente. Vim correndo e encontro as portas fechadas", contou totalmente desacreditada.
Representantes do Sindicato dos profissionais da educação, que estavam presentes também ficaram indignados com a situação. A categoria decidiu acampar na porta da Câmara com o intuito de garantir o lugar na plenária da sessão de terça-feira, 17, e evitar que o pedido seja aprovado em regime de urgência.
A também servidora, Thamires Mendes, considerou um absurdo ser proibida de entrar em um espaço, que também é seu. "Infelizmente, o povo está se acostumando com esse desrespeito, e não podemos deixar. Eles estão tentado enganar o povo e não querem que a população entenda o que está acontecendo", analisou.
O dominador Bernardo, que veio de Quissamã a pedido do Dr. Adriano lamentou o fato, mas garantiu aos presentes a ilegalidade do pedido do empréstimo.
"Queríamos muito ter a oportunidade de explicar os detalhes dos aspectos legais, o que infelizmente não foi possível. Mas,  posso garantir que do ponto de vista juridico, esse empréstimo fere os dispositivos legais. Com relação ao pagamento de salários com o empréstimo é totalmente ilegal", ressaltou.
Apesar de toda a vontade do povo, as portas continuaram fechadas. Dentro do prédio, tinha apenas um segurança, e mais ninguém para esclarecer o motivo do impedimento do povo entrar na "sua Casa".

Situação foi registrada na delegacia

Depois de mais de uma hora esperando que as portas fossem abertas e inúmeras tentativas de falar com a presidência da Câmara sem sucesso, o vereador Dr. Adriano em nome da Rede registrou uma medida asseguradora de direito futuro, na Delegacia da cidade.
O partido REDE afirmou repudiar esse tipo de atitude desrespeitosa com a população.

Mais lidas da semana