Mídias Sociais

Política

Enquanto Prefeitura de Casimiro de Abreu ignora redistribuição dos royalties, Prefeita de São João da Barra corta relações com CNM

Avatar

Publicado

em

 

Prefeito Paulo Dames (PSB), posa ao lado de seu vice, Kinha (PRB), em marcha de prefeitos que foi a Brasília para pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para aprovar redistribuição de royalties para estados e municípios não produtores de petróleo, o que vai causar perdas catastróficas para o Estado, a região e o próprio município

Enquanto o Prefeito de Casimiro de Abreu, Paulo Dames (PSB), comemorou a ida à Brasília, na 22ª edição da Marcha em Defesa dos Municípios, da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a Prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), cortou relação com a entidade.

Curioso na posição do governo municipal de Casimiro é que a Marcha serviu para pressionar o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para colocar em pauta a votação da liminar que suspende a divisão dos royalties do petróleo com os estados e municípios não produtores, o que aumentará a crise financeira do Estado do Rio e, em consequência, dos municípios produtores fluminenses.

“Eu já me desfiliei desde a gestão anterior por conta dessa pressão da CMN. Uma confederação de municípios não pode defender uma pauta que não atenda a todos. Ao invés de querer retirar as compensações que temos, deveriam lutar para que fosse redistribuído uma parte do grande percentual que fica com a União. Aí nenhum município que já conta com essa receita perderia e outros tantos passariam a ter”, defendeu Carla Machado ao jornalista Roberto Barbosa.

Na página a prefeitura, o Prefeito Paulo Dames e seu vice, Kinha (PRB), posavam em frente a um cartaz da CNM e da Marcha, , quando, segundo o próprio governo municipal, “aproveita a oportunidade para buscar recursos federais com a proposta de investir em diferentes setores, como saúde, educação e obras”.

Ignorando o assunto da redistribuição dos royalties, o prefeito, o vice e a secretaria de governo, Érica Dames, focaram no fato de terem conferido o Projeto Caminhos na Escola, dizendo que a proposta é de ampliar, padronizar e renovar as frotas escolares no município.

O posicionamento da Prefeitura de Casimiro, que também tem uma boa parcela de sua arrecadação dependente dos repasses dos royalties, contraria o de diversos políticos do Estado e da região, que se manifestaram contrários à redistribuição dos royalties, entre eles o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC) e o deputado federal de Campos dos Goytacazes, Wladimir Garotinho (PSD-RJ).

É bom lembrar, a pressão feita pela CNM ao ministro Dias Toffoli deu resultado e a liminar que suspende a redistribuição dos royalties para todos os estados e municípios do país deve entrar na pauta do STF em 20 de novembro, gerando muita polêmica e muita discussão até o fim do ano.


 

Mais lidas do mês