Mídias Sociais

Política

Empresa responsável pela limpeza urbana de Campos demite 400 funcionários

Publicado

em

 

Empresa Vital justificou demissões e retirada de caminhões das ruas alegando falta de dinheiro

Tunan Teixeira

A cidade de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, outrora uma das mais importantes cidades do interior do Estado do Rio, pode estar prestes a viver situação parecida com a que viveu Cabo Frio nos últimos anos.

Nesta quinta-feira, 3, segundo o site da Revista Viu!, a empresa Vital, responsável pela coleta de lixo na cidade, teria anunciado a demissão de cerca de 200 funcionários, totalizando 400, além da retirada de caminhões das ruas, o que pode provocar um colapso na limpeza urbana do município.

O motivo alegado pela empresa, de acordo com a reportagem da Viu!, é a falta de dinheiro, principalmente depois que a prefeitura reduziu o valor do contrato com a empresa, que está tendo que “se ajustar”.

A frota de caminhões que atua na coleta urbana já teria deixado de circular pela cidade nesta quinta, o que pode gerar caso semelhante ao que passou a famosa cidade da Região dos Lagos nos últimos anos do mandato do ex-prefeito Alair Corrêa (PR), em que um grande número de lixo se aglomerou pelas ruas da cidade.

Em meados de 2016, Cabo Frio viveu meses de caos na cidade com o acúmulo de lixo e greves provocadas pelos atrasos de salários dos servidores municipais. Na época, servidores chegaram a cobrir a entrada da prefeitura com o lixo acumulado nas ruas, em protesto contra o ex-prefeito.

Em Campos, a empresa alega que não tem dinheiro para abastecer a frota, e que, por isso, o serviço foi paralisado. Segundo a Viu!, a política de austeridade do Prefeito Rafael Diniz (PPS) estaria cortando orçamento nos serviços para prolongar a zona de conforto dos cargos comissionados.

Comissionados – O site, que desde o início do ano vem alertando para o alto número de cargos comissionados no governo, publicou nesta quinta nova reportagem criticando o abuso de nomeações, que incharam a folha de pagamento da prefeitura.

De acordo com a Viu! Online, a leitura da execução orçamentária da cidade de Campos nos últimos 6 meses é “desalentadora”, já que o prefeito teria tentado cortar despesas na administração, mas teria feito muitas nomeações.

Um dos erros apontados pela matéria teria sido manter alta a folha de pagamento mesmo diante da queda de receita, ultrapassando e muito o limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que permite que o município comprometa até 54% da sua Receita Corrente Líquida (RCL) com a folha. Em Campos, segundo a revista, a prefeitura já comprometeu 62% da receita com pagamento de pessoal.

Foto: Reprodução

Mais lidas da semana