Mídias Sociais

Política

Dr Aluizio convoca população para audiência pública sobre o Porto de Macaé

Avatar

Publicado

em

 

A sessão acontece nesta segunda-feira (5) no Plenário da Câmara Municipal, às 18h

Bertha Muniz

A retomada do crescimento econômico na Capital do Petróleo está cada dia mais perto de se tornar uma realidade, pois está marcada para esta segunda-feira (5), a audiência pública do Porto de Macaé. A sessão acontece no Plenário da Câmara Municipal, às 18h. A proposta é discutir o zoneamento urbano da cidade nas áreas do Barreto, onde será instalado o Terminal Portuário de Macaé. Através das redes sociais, o prefeito de Macaé, Dr Aluizio, vem convocando a população para comparecer à audiência e juntos discutirem o projeto. 


“É de extrema importância a presença de toda a população macaense na Audiência Pública do dia 5. Vamos discutir, juntos, esse projeto que prevê a retomada do crescimento em nosso município. O Porto de Macaé é fundamental para retomada do crescimento da cidade. A iniciativa significa reaquecer a economia na Bacia de Campos, além de emprego e recurso financeiro direto”,  apontou o prefeito.


A construção do novo terminal portuário, da iniciativa privada, busca atender as demandas das empresas offshore, sendo capaz de dar suporte logístico às operações direcionadas à exploração e produção de petróleo nas reservas do pré-sal. O projeto prevê uma plataforma marítima com cerca de 90 mil metros quadrados com área para atendimento de 14 embarcações de grande capacidade simultânea e uma área de 400 mil metros quadrados em terra.

NOVA RODADA

Além do porto, outro fator deve contribuir para a reaquecer a economia e impulsionar o crescimento da cidade . A expectativa se fundamenta principalmente na 14ª rodada de leilões de novas áreas na Bacia de Campos, previstos para logo após a Brasil Offshore. Os pregões de 10 campos em águas ultraprofundas (porém, fora do polígono do pré-sal) deverão ocorrer entre agosto e setembro, já com a flexibilização do conteúdo local, que permite a participação de empresas estrangeiras para exploração – antes restrita à Petrobras.


Mesmo com toda a turbulência do mercado de óleo e gás, Macaé ainda é a cidade com uma das maiores receitas provenientes do produto. Só no ano passado, foram mais de R$ 293 milhões em créditos de royalties, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Pelas previsões orçamentárias, os royalties este ano devem cair um pouco, mas a perspectiva é que chegarão a R$ 245 milhões.

A região concentra, ainda, 64% da produção nacional de petróleo. Ao todo, são 711 poços de exploração. Só Macaé concentra 14 campos de produção, e mais dois (Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça) começam a entrar em operação ainda este ano. Também está previsto um teste de Longa Duração no pré-sal do reservatório de Forno (Albacora).



Mais lidas da semana