Mídias Sociais

Política

Córrego Rico já recebeu mais de 38 milhões da prefeitura

Avatar

Publicado

em

 

Depois que um oficial de Justiça foi à prefeitura na semana passada para cumprir mandado de busca e apreensão de todos os documentos relacionado ao contrato entre a prefeitura e a Córrego Rico, os valores do contrato vieram à tona. A empresa Córrego Rico Transporte e Construção Ltda, com sede em São Pedro da Aldeia e que tem a locação de veículos como caminhões, automóveis de passeio, retroescavadeiras e tratores, como o principal serviço prestado à Prefeitura, já recebeu mais de 39 milhões por esses serviços.

Em relação ao processo 12.964/2014, a Córrego Rico recebeu, até o dia último dia 13 de maio, R$ 19.427.102,60 (dezenove milhões quatrocentos e vinte e sete mil cento e dois reais e sessenta centavos) só para locação de veículos. Ao todo, a empresa ficou com R$ 39.795.970,88 (trinta e oito milhões setecentos e noventa e cinco mil novecentos e setenta reais e oitenta e oito centavos) do orçamento da Prefeitura em processos de transporte de saibro, pó-de-pedra, cascalhinho (pedra zero), pedra britada 1 e 2 e pedra de mão e execução de obra de drenagem e pavimentação asfáltica.

A operação de recolhimento desses documentos foi realizada após o prefeito Alair Correa (PP) ter descumprido sentença do juiz Caio Luiz Rodrigues Romo que determinou, no dia 21 de janeiro de 2016, a apresentação de cópia dos contratos, processos e editais em nome da empresa Córrego Rico no prazo de 72 horas, sob pena de multa diária pessoal de R$ 5 mil.

De acordo com o juiz Danilo Marques Borges, havia risco de “inefetividade da tutela jurisdicional e esvaziamento do direito fundamental à informação” e, por isso, ele determinou a busca e apreensão de trinta e cinco processos em nome da empresa nas diferentes repartições da Prefeitura de Cabo Frio. A operação teve início na última quinta-feira (19) e o ponto de partida foi a Controladoria Geral, de onde foi levado o maior número de volumes. Depois, o oficial de Justiça seguiu até a prefeitura, onde confiscou mais documentos.

Mais lidas da semana