Mídias Sociais

Política

Com votos de deputados de Macaé, Campos e Cabo Frio, Alerj decide pela liberação de 5 deputados presos na Furna da Onça

Avatar

Publicado

em

 

Por 39 votos favoráveis a 25 contrários ao projeto de resolução da Comissão de Constituição, Justiça (CCJ), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) determinou nesta terça-feira, 22, a libertação dos 5 deputados estaduais presos na Operação Furna da Onça.

A proposta tinha 3 pontos, a soltura dos deputados, o afastamento dos mandatos, e a extensão da medida a outros 2 parlamentares que não estavam citados na decisão da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), que definiu ser atribuição da Alerj a definição sobre a manutenção da prisão ou a soltura dos deputados.

Com a decisão da maioria dos deputados estaduais do Rio, os deputados André Correa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (AVANTE), e Marcus Vinicius Neskau (PTB) poderão deixar a prisão, e no caso do parlamentar do PSC, a prisão domiciliar.

Os 5 deputados foram presos em novembro de 2018, mas acabaram tomando posse em manobra da mesa diretora da Alerj, que desrespeitou o regimento interno da Casa e permitiu a saída do livre de posse para que os parlamentares pudessem tomar posse, algo que acabou suspenso pela Justiça.

Eles são acusados de participação em um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro, e loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada em órgãos públicos do governo estadual, além de receberem mensalmente do grupo político do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), em troca de apoio parlamentar, entre 20 mil e 100 mil reais.

Curiosamente, a votação demonstrou uma divisão ideológica dentro dos próprios partidos, com deputados estaduais da mesma legenda votando tanto a favor da liberdade quanto contra a soltura dos parlamentares.

Na região, também houve divisão, com os deputados Chico Machado (PSD), de Macaé; e Bruno Dauaire (PSC), Gil Vianna (PSL) e Rodrigo Bacellar (SOLIDARIEDADE), de Campos dos Goytacazes; Francine Motta (MDB), de Saquarema; e João Peixoto (DC), de Cabo Frio; votando pela liberação dos deputados presos; e os deputados Welberth Rezende (CIDADANIA), de Macaé; e Dr. Serginho (PSL) e Subtenente Bernardo (PROS), de Cabo Frio; votando pela manutenção da prisão dos parlamentares.

Mais lidas da semana