Mídias Sociais

Política

Com OS afastada das obras, construção dos hospitais de campanha de Campos e Casimiro ficam sem previsão de conclusão

Avatar

Publicado

em

 

Depois de se reunirem no último domingo, 31 de maio, e não chegarem a um acordo sobre os hospitais de campanha, o governo estadual e a Organização Social (OS), Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (IABAS), responsável pela construção e operação das unidades, romperam definitivamente nesta quarta-feira, 3 de junho.

Por decreto, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), que tem sua gestão cada vez mais ameaçada por investigações de corrupção e pela pressão que cresce por seu impeachment na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), decidiu pelo afastamento da OS da gestão dos hospitais de campanha.

Inicialmente prometidas para ficarem prontas no final de abril, as duas unidades na região, que seguem sendo construídas em Casimiro de Abreu (na foto) e Campos dos Goytacazes, assim como outros 5 hospitais de campanha do governo estadual, agora é de responsabilidade integral da própria gestão da Saúde estadual, através da Fundação de Saúde (FSERJ).

As unidades contratadas ao custo estimado de mais de 800 milhões de reais pelo governo estadual deveriam servir para auxiliar no tratamento dos pacientes infectados pelo novo coronavírus, mas até agora, dos 7 hospitais previstas, o IABAS conseguiu entregar apenas 1, e mesmo assim, sob denúncias de falta de insumos e problemas de atendimento.

Os atrasos nas obras e deficiências na gestão da OS teriam sido, inclusive, as razões alegadas por Witzel para afastar o IABAS, que, a na última semana, também já tinha sido afastado da administração dos hospitais de campanha de São Gonçalo, de Nova Iguaçu, de Duque de Caxias, de Nova Friburgo, além das unidades de Campos e Casimiro, embora ainda fosse responsável por concluir as obras.

Segundo o decreto, o contrato e os termos aditivos realizados com o IABAS serão anulados e o governo vai requisitar todo o equipamento e mão de obra no combate à pandemia, assim como a conclusão das obras.

As outras duas unidades, Lagoa-Barra e Parque dos Atletas, todas duas localizadas em uma das áreas mais nobres da capital fluminense, e que foram contratadas junto à Rede D’Or, já estão em funcionamento.

Mais lidas da semana