Mídias Sociais

Política

Ceciliano vence rejeição do PSL e é eleito presidente da Alerj, com macaense na Mesa Diretora

Publicado

em

 

Deputado estadual reeleito, André Ceciliano (PT), ao centro, recebe as felicitações dos colegas de plenária pela eleição para a presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj)

Não houve surpresas nas eleições para a presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). No último sábado, 2 de fevereiro, o deputado estadual André Ceciliano (PT) foi eleito presidente Casa para o biênio 2019-2020.

Com 49 votos favoráveis, 7 contrários e 8 abstenções, dos 64 votos possíveis, já que 6 deputados eleitos em 2018 seguem presos por corrupção, a chapa única “Arrumação”, liderada por Ceciliano, foi escolhida para conduzir os trabalhos da Casa pelos próximos 2 anos, superando ainda a rejeição do PSL dos Bolsonaro, que tentou de todas as formas articular uma candidatura para concorrer com o petista, sem sucesso.

A sessão, que elegeu os outros 11 integrantes da Mesa Diretora, foi presidida pelo parlamentar da atual legislatura com o maior número de mandatos, o deputado Carlos Minc (PSB), que devolveu o bastão para Ceciliano, que ocupava a presidência da Casa desde novembro de 2017, quando o ex-presidente da Casa, Jorge Picciani (MDB), foi preso, e o primeiro suplente, Wagner Montes (PRB), estava licenciado por problemas de saúde, que, inclusive, o levaram a óbito neste início de 2019.

“Agradeço aos colegas parlamentares que confiaram em minha capacidade para continuar conduzindo os trabalhos com transparência, priorizando o diálogo, respeitando as diferenças ideológicas e, acima de tudo, garantindo autonomia aos deputados para exercerem seus mandatos em toda a sua plenitude”, disse após a vitória nas eleições da Casa.

Ceciliano também informou que algumas providências já haviam sido tomadas quando ele era presidente interino, como a redução da possibilidade dos desmembramentos de cargos dos gabinetes, de até 63 para no máximo 40, e a substituição do auxílio alimentação dos funcionários depositado em conta pelo tíquete-refeição, além de anunciar novas medidas que serão implementadas pela Alerj.

“A sociedade exige mais transparência. Por isso, vamos dar continuidade ao aperfeiçoamento do acesso a todas as informações internas da Casa, através do Portal da Transparência. Também vamos implantar o Parlamento Digital, um conjunto de ferramentas necessárias para que possamos praticar uma política moderna, com a população sugerindo projetos e opinando sobre as matérias que tramitam na Casa”, prometeu o petista.

O deputado também informou que vai permitir que as audiências públicas sejam transmitidas pela internet, com um sistema que permitirá interação com os internautas, tendo como base a experiência do Laboratório Hacker da Câmara Federal, e também colocará a TV Alerj em canal aberto ainda este ano.

“Precisamos mostrar aos cidadãos que a Alerj faz positivamente diferença na vida deles”, concluiu o presidente.

Além de Ceciliano, foram eleitos ainda Jair Bittencourt (PP), como 1º vice-presidente; Renato Cozzolino (PRP) como 2º vice-presidente; Tia Ju (PRB), como 3ª vice; e Filipe Soares (DEM) como 4º vice; Marcos Muller (PHS) como 1º secretário; Samuel Malafaia (DEM) como 2º secretário; Marina (PMB) como 3ª e Chico Machado (PSD) como 4º; Franciane Motta (MDB) como 1ª vogal; Dr. Deodalto (DEM) como 2º; Valdecy da Saúde (PHS) como 3º; e Márcio Canella (MDB) como 4º.

Com isso, a bancada da região Norte Fluminense ficou com 1 representante na Mesa Diretora, o ex-vereador de Macaé, Chico Machado. Dos deputados da região, os campistas Bruno Dauaire (PRP), João Peixoto (DC) e Rodrigo Bacellar (SD), bem como os macaenses, Chico Machado e Welberth Rezende (PPS), votaram favoráveis a Ceciliano, enquanto o também campista Gil Vianna (PSL) se absteve.


 

Mais lidas do mês