Mídias Sociais

Política

Candidato a prefeito de Cabo Frio, Marquinho Mendes, assume vaga de Cunha na Câmara dos Deputados

Avatar

Publicado

em

 

Enquanto tenta retomar a cadeira de chefe do executivo de Cabo Frio, Marquinho Mendes, assumirá a vaga de Deputado Federal no lugar de Eduardo Cunha (PMDB). Ele assinou o termo da posse da vaga de titular de Cunha nesta terça, 13.

Segundo a Secretaria-Geral da Câmara, o cabofriense é o primeiro da lista de suplentes da coligação partidária do PMDB e por isso, é o escolhido para preencher a cadeira, depois que Cunha foi cassado.

A primeira vez que Marquinho Mendes ocupou a vaga com suplente foi logo após o início da atual legislatura, no ano passado, quando assumiu a cadeira deixada pelo deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), que saiu para chefiar uma secretaria na Prefeitura do Rio de Janeiro. Ele ficou na posição de 10 de fevereiro de 2015 a 14 de abril deste ano.

Dias depois, em 19 de abril ele assumiu outra vaga, também como suplente, agora no lugar do deputado Arolde de Oliveira (PSC-RJ), posição que ocupa atualmente.

Mas, Marquinho Mendes nunca deixou de ressaltar seu desejo em retornar a Prefeitura de Cabo Frio. Vontade essa que pode não chegar a ser realizada, mesmo antes da votação. Marquinho é o único candidato da cidade, que ainda não teve sua candidatura liberada pela justiça. No site oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), há a informação de que sua candidatura está “indeferida com recurso”, e no campo “motivo da situação”, consta “Ficha Limpa LC 64/90”. O Deputado tem dezenas de processos de irregularidades encontradas na sua gestão como prefeitura de Cabo Frio.

Apesar dos problemas, Marquinho Mendes, não deixa te der esperanças. Antes de ir para Brasília, o candidato se pronunciou em sua página oficial do Facebook , afirmando em vídeo que não há nada que possa interromper sua candidatura. “Quero tranquilizar a todos quanto a nossa candidatura. Vamos fazer valer a vontade do povo nas urnas com a vitória do 15”, escreveu na postagem.

E essa não é a primeira vez que seu retorno à prefeitura fica ameaçado. Em fevereiro e maio, o candidato fez postagens afirmando sua inocência e defendendo-se de rumores sobre cassação de seu mandato e acusações de ficha suja. Enquanto prefeito, em 2010, de acordo com material da Agência Brasil, Mendes quase teve seu mandato cassado. O processo foi suspenso pelo TRE-RJ.

Mais lidas da semana