Mídias Sociais

Política

Câmaras da região entram em penúltimo mês do ano com polêmicas, projetos esperando votação e preocupações diversas

Publicado

em

 

Discutido pela Câmara Municipal de Macaé em audiência pública realizada no último dia 26 de outubro, projeto do Bolsa Escola deve retornar para a 2ª discussão e votação repleto de emendas parlamentares e com a promessa de mais polêmicas

Faltando pouco menos de 2 meses para o fim do ano, as câmaras municipais da região se preparam para o que deve ser uma verdadeira maratona de votações até o início do recesso parlamentar, que deve acontecer dentro dos próximos 45 dias.

Um grande exemplo disso deve acontecer na Câmara de Macaé, que além da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2019, votação comum aos demais Poderes Legislativos, tem diversos projetos importantes e polêmicos em tramitação.

Entre os mais importantes estão o Bolsa Escola e o Avança Macaé, do Executivo, e o Conselho Municipal de Comunicação Social, do vereador Marcel Silvano (PT), projetos que vêm causando muita discussão entre os parlamentares e a sociedade.

Ainda sem data para a votação, ainda há a expectativa de que o último possa ser tema de uma audiência pública, enquanto o Bolsa Escola pode retornar à pauta nas próximas semanas para a 2ª discussão e votação.

Em São João da Barra, além dos projetos em tramitação, a Câmara Municipal começa a primeira semana de novembro com mudanças na plenária, já que, nesta terça-feira, 6, toma posse o suplente Julinho Peixoto (DC).

De acordo com o Legislativo sanjoanense, o novo vereador assumirá o lugar da vereadora Sônia Pereira (PT), que protocolou na última quinta-feira, 1 de novembro, uma solicitação de afastamento de seu mandato para assumir a chefia do gabinete da Prefeita Carla Machado (PP), cargo até então ocupado pelo próprio Julinho.

Em Campos, a maior preocupação do Legislativo, fora a obrigação constitucional de votar a LOA 2019, é com as contas da Casa, que, segundo reportagem do site da Viu! Online, estariam com um rombo apesar do orçamento de 27 milhões de reais.

Depois de cortar em 30% salários de servidores comissionados e em funções gratificadas, o Legislativo estariam sofrendo a falta até mesmo do tradicional cafezinho, conforme conta a matéria publicada na última quinta-feira, 1 de novembro.

Ainda segundo a publicação, o próprio vice-presidente da Câmara campista, José Carlos (DC), teria revelado que houve “abusos nos gastos com comendas e flores para solenidades, além de excesso de custeio com viagens para reuniões políticas no Rio de Janeiro”, sem, no entanto citar o fato de o presidente, Marcão Gomes (PR), ter sido candidato a deputado federal nas últimas eleições gerais.

Em Macaé, Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, as sessões ordinárias da Câmara são realizadas às terças e quartas-feiras, sendo às 10h em Macaé e Casimiro, às 17h em Campos e às 17h30 em Rio das Ostras. Em Quissamã, as sessões acontecem às quartas e quintas-feiras, às 17h, e em São João da Barra, às segundas e quintas-feiras, às 17h.


 

Mais lidas do mês