Mídias Sociais

Política

Câmara Municipal de Macaé retorna com sessões ordinárias na próxima terça-feira, 19

Avatar

Publicado

em

 

Plenária da Câmara Municipal de Macaé reabre suas portas nesta terça-feira, 19, com o retorno das sessões ordinárias do penúltimo exercício deste mandato

Com duas mudanças na plenária, as entradas dos suplentes Luciano Diniz (MDB) e Reginaldo do Hospital (PROS) nas cadeiras, respectivamente, de Guto Garcia (MDB) e Welberth Rezende (PPS), a Câmara Municipal de Macaé retorna com suas sessões ordinárias na próxima terça-feira, 19.

Enquanto Guto retornou para a Secretaria de Educação, de onde saiu em abril com a esperança de concorrer a deputado estadual, o que acabou não acontecendo, Welberth, por sua vez, saiu vitorioso das eleições gerais de 2018, eleito deputado estadual e assumindo uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Se Diniz retorna à Casa onde exerceu mandato desde o início de 2017, quando Guto foi nomeado na Educação, até o segundo trimestre de 2018, Reginaldo assume uma cadeira no Legislativo pela primeira vez, e mesmo antes de encarar sua primeira sessão ordinária, vem usando sua página no Facebook para demonstrar trabalho.

Mais mudanças – Especulações à parte sobre alianças de vereadores com o governo, e possibilidades de outros parlamentares assumirem cargos no Executivo, a Câmara reabrirá suas portas para o retorno dos debates, das votações e, claro, das polêmicas, já que o último ano eleitoral terminou agitado entre os parlamentares.

A própria eleição da nova mesa diretora, com 2 membros da oposição, Renata Paes (PSC) e Dr. Luiz Fernando (PTC), pode indicar que o jogo de poder entre os vereadores pode estar mudando de lado, e, por isso mesmo, o governo estaria tentando, segundo blogs da cidade, uma aproximação com antigos aliados, como o vereador George Jardim (MDB), um dos especulados para assumir uma pasta do Executivo.

Caso as especulações se confirmem e Jardim assuma de fato a Secretaria de Agroeconomia, o Dr. Márcio Barcelos (MDB) deve ficar com a vaga do político da região serrana do município na Casa.

Cláusula de Barreira – Além dos possíveis troca-trocas, seja de lado, seja das cadeiras, há ainda uma grande probabilidade, ventilada desde o fim das eleições de 2018, de que com a cláusula de barreira imposta aos partidos que não atingiram os requisitos e ficarão sem recursos do Fundo Partidário e sem qualquer tempo de propaganda gratuita no rádio e na TV, entre outras restrições.

E algumas delas podem mexer com as representatividades partidárias na Câmara, já que o PTC de Dr. Luiz Fernando e Cristiano Gelinho; o PHS, de Val Barbeiro; e a REDE, de Marvel, estão entre os 14 partidos que não atingiram a cláusula de barreira.

De Manaus, o portal Em Tempo, publica que o PHS estaria trabalhando com a possibilidade de se fundir ao PODE, citando trecho de uma entrevista com o presidente estadual do PHS no Estado do Amazonas, deputado federal Wilker Barreto.

“O PHS não bateu a cláusula partidária. E nós tínhamos até o dia 2 de fevereiro para fazer a fusão ou incorporação. A nacional iniciou a conversa com o Podemos (PODE) para dar entrada à incorporação. Na verdade, foi o Podemos que iniciou a conversa com o PHS. Os interesses eram comuns e, ambos, resolveram dar entrada no processo”, explicou o deputado federal do PHS.

Outras fusões noticiadas pela imprensa nacional, e confirmadas pela Câmara Federal, são a do PATRI, de Rosinha Garotinho, com o PRP, de seu marido, Anthony, e seu filho, Wladimir, assim como a do PCdoB com o PPL, dois partidos sem muita representatividade na região.

O PTC, que iniciou tratativas para tentar uma fusão com o PATRI, agora segue sem novidades, assim como a REDE, que também não avançou nas conversas sobre uma fusão com o PPS, por sinal, essa sim uma que poderia trazer muitas novidades para a política macaense, por colocar no mesmo partido o presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), aliado do governo, e o oposicionista Marvel (REDE).

O PTC e o PRP, inclusive, já começaram a perder suas cabeças, com as saídas do ex-presidente e atual senador, Fernando Collor (AL), que trocou o PTC pelo PROS, e do jornalista esportivo e também senador, Jorge Kajuru (GO), que trocou o PRP pelo PSB. Em suas redes sociais, os vereadores desses partidos em Macaé ainda não se manifestaram sobre o assunto, assim como o site do Legislativo municipal não apresenta mudanças nos partidos dos parlamentares.

Mais lidas da semana