Mídias Sociais

Política

Câmara Municipal de Macaé e Alerj também adotam medidas de prevenção ao novo coronavírus

Avatar

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Macaé informou, na última sexta-feira, 13, após ser publicado o decreto da prefeitura sobre o coronavírus, que o Legislativo macaense também adotará medidas de prevenção contra a doença que já tem mais de 140 mil casos confirmados em todo o mundo, segundo o site Worldometer.

Em comunicado divulgado na manhã da última sexta-feira, a Casa advertiu o público interessado em acompanhar as sessões ordinárias da Câmara nesta semana, às terças e quartas-feiras, a fazê-lo pela internet, através dos canais de divulgação do Legislativo.

“Diante das recentes notícias relacionadas ao coronavírus no Brasil, a Câmara Municipal de Macaé recomenda que a população acompanhe as sessões ordinárias pela transmissão que acontece ao vivo no YouTube. Todo o conteúdo também é disponibilizado na íntegra para quem desejar ver posteriormente”, escreveu a Casa.

Além disso, a Câmara, que atualmente é presidida por um médico, o vereador Dr. Eduardo Cardoso (CIDADANIA), além de contar com outros 2 parlamentares que atuam na saúde municipal, os vereadores, Dr. Márcio Bittencourt (MDB) e Dr. Marcio Barcellos (MDB), também apresentou recomendações  às pessoas que ainda assim quiserem conferir as sessões de forma presencial.

“Quem comparecer ao plenário deve manter a distância de 1 metro de outras pessoas. Em todo o prédio da Câmara, serão disponibilizados pontos para higienização com álcool 70%. Por recomendação do Ministério da Saúde, pessoas com sintomas de gripe devem buscar atendimento especializado e evitar circulação em locais públicos”, reforçou o Legislativo municipal.

A Câmara também suspendeu as visitas guiadas ao Centro Cultural do Legislativo, que funciona no antigo prédio da Casa, no centro da cidade, onde hoje está o Museu do Legislativo, que reúne, além do Centro Cultura, a Escola do Legislativo e a Biblioteca do Legislativo.

Mas não foi só em Macaé que o Legislativo se posicionou em relação ao aumento de casos de coronavírus no país e no Estado Na última quinta-feira, 12, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) também decidiu adotar uma série de medidas de prevenção ao novo vírus que já tem mais de 130 casos confirmados no Brasil, sendo 16 no Estado do Rio.

De acordo com o ato da Mesa Diretora, publicado também na última sexta, e que terá validade por 30 dias, podendo ser prorrogado, ficam suspensas audiências públicas e reuniões de comissões e frentes parlamentares, além das visitas guiadas no Palácio Tiradentes, sede da Alerj, bem como o atendimento público na Biblioteca da Alerj.

O comunicado estabelece ainda que as sessões deliberativas no plenário, no entanto, estão mantidas. As medidas foram anunciadas depois que alguns parlamentares se reuniram na tarde da última quinta para discutir ações de prevenção à doença.

“Estamos monitorando a situação, a partir da informação de que já há casos de transmissão interna no Estado. Vamos acompanhar a evolução da doença e não descartamos adotar outras medidas como a suspensão das sessões plenárias ou mesmo a antecipação do recesso parlamentar”, explicou o presidente da Casa, deputado estadual André Ceciliano (PT).
Outras medidas adotadas pela Alerj são as inscrições em cursos da Escola do Legislativo; a restrição do acesso às dependências da Casa, permitido apenas a parlamentares, autoridades, funcionários do Legislativo, profissionais de imprensa e representantes de instituições públicas e privadas previamente credenciados, devendo o acesso de demais pessoas ser autorizado pela 1ª Secretaria.

O ato da presidência da Casa também estabelece que parlamentares e funcionários que retornarem de viagem a países com casos da doença deverão ficar afastados em observação por 14 dias, o mesmo valendo para quem tiver tido contato com pessoas infectadas com coronavírus, independente de apresentar sintomas ou não.

“Quem apresentar sintomas respiratórios ou febre, ainda que sem qualquer histórico de contato com casos suspeitos ou confirmados, será imediatamente afastado de suas atividades e tratado conforme critério médico”, completou a Alerj.

A Assembleia Legislativa do Rio também decidiu manter afastados os servidores com mais de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou pulmonares crônicas, e gestantes, que foram dispensados imediatamente de suas atividades, além de suspender os prazos de funcionamento de comissões temporárias e de inquérito, as chamadas CPIs.
“O Departamento de Assistência Médica elaborará e divulgará um protocolo de busca ativa de eventuais casos suspeitos na Casa”, concluiu o Legislativo estadual.

Mais lidas da semana