Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé aprova nomeação de seu Bloco 1 para homenagear vereador Thales Coutinho, vítima do coronavírus

Publicado

em

 

Dentre as muitas homenagens que ainda deve receber o vereador Thales Coutinho (PODE), falecido devido ao coronavírus há pouco menos de uma semana, a Câmara Municipal de Macaé aprovou, em sessão ordinária desta terça-feira, 13, um projeto de resolução nomeando o bloco 1 da Casa com o nome do parlamentar.

De autoria do vereador George Jardim (MDB), o projeto foi bastante elogiado pelos vereadores, que aproveitaram o momento da discussão da matéria para falar de suas relações com o colega e reforçar o apoio às suas lutas na Câmara macaense.

Uma de suas aliadas no plenário, com quem dividia diversas pautas, como a defesa da democracia, a celeridade na campanha municipal de vacinação, e os alertas contra o uso de medicamentos sem eficácia comprovada no chamado tratamento precoce da doença, a vereadora Ize Vicente (REDE) foi uma das mais emocionadas ao falar sobre o vereador.

“Estou tentando aqui não chorar porque já chorei na outra sessão, porque falar de Thales é falar de alegria, é falar de uma pessoa alegre. Sempre tinha uma história para contar, sempre fazia a gente rir, me fazia de rir demais. Às vezes, na sessão, ele soltava algum comentário; ainda bem que a gente usa a máscara, senão ia rir aqui no plenário. E Thales era uma pessoa que, às vezes, as pessoas não entendem, mas 6 meses aqui na política parecem 6 anos. Então, o pouco tempo em que ele ficou aqui, as alianças, os compromissos, as amizades, vão ficar para sempre. Eu tive a oportunidade de conhecer a pessoa Thales no período de campanha, antes só o conhecia como secretário, e uma pessoa maravilhosa, sempre me incentivando. Aqui na Casa também, sempre me incentivando. Às vezes eu saía da sessão meio cabisbaixa e ele, ‘não, tem que levantar a cabeça e continuar’. E eu acho que é isso que ele deseja de cada um de nós, que a gente continue, que a gente não pare com os nossos projetos, com nossos sonhos. Thales foi um grande defensor da democracia, das vacinas, da educação, inclusive, a última agenda que tivemos, na quinta-feira antes dele ser internado, dele testar positivo, foi indo às escolas. Nós visitamos 3 escolas juntos, e ele, muito simpático sempre; e na quinta-feira à noite nós fizemos uma live para falar dos nossos 5 meses de mandato, e estávamos fazendo muitos planos, de projetos juntos, de parcerias juntos, e infelizmente a vida dele foi interrompida por um vírus que já tem vacina. É difícil entender, é difícil aceitar, é difícil assimilar”, desabafou a vereadora.

Muitos parlamentares também expressaram apoio ao projeto e falar sobre a importância do trabalhador de Thales Coutinho, filho do ex-presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PODE), também vítima do vírus este ano.

Entre eles, o atual presidente da Câmara, vereador Cesinha (PROS), que garantiu que manterá o legado do colega vivo enquanto estiver presente no Legislativo macaense, revelando que pretende batizar um projeto de lei de incentivo à cultura, proposto pelo vereador, de projeto Thales Coutinho.

“Não poderia deixar de me furtar a usar as palavras aqui; parabenizar primeiramente o vereador George e frisar: o meu legado eu vou manter Thales Coutinho vivo ao meu lado. Eu vou tocar todas as lutas do vereador, que ele tinha nessa Casa. É isso que eu vou guardar dele para a minha vida”, afirmou Cesinha.

Também muito emocionado, como diversos parlamentares, entre eles o autor do projeto de resolução, o presidente da Casa falou com carinho das lembranças da presença do colega nas sessões da Câmara e da importância de seu trabalho e seu amor pela cidade.

“Temos a certeza, pelo brilhantismo de como chegar nessa Casa, como adquirir com pouca experiência de mandato, adquirir o legado que ele adquiriu aqui. Olhar para o meu lado direito é ver Thales sentado ali. É, no dia a dia do meu mandato, ver o vereador que foi eleito com [mais de] 1.800 votos, 1ª vez que tinha disputado a eleição, [tinha] um grande professor ao seu lado, Dr. Eduardo, uma história que nós temos o dever de manter viva. A história não acabou. Nós vamos seguir, defendendo as nominatas, como Dr. Eduardo bem fazia. O seu lado de jornalista como Thales, com a expertise que foi para poucos, e toda uma questão que ele, como falou a Thaís [irmã do vereador], o amor por esse solo quando ele voltava da faculdade [no Rio]. Amor como todos nós escolhemos essa cidade para criar nossos filhos, para constituir a nossa família, e defender todas as lutas que a gente defende aqui”, reforçou Cesinha.

Eleito vereador nas eleições municipais de 2020, Thales Coutinho foi o 7º vereador mais votado em sua 1ª eleição, tendo recebido 1.822 votos, ou seja, 1,63% do total de votos válidos para vereador em Macaé.

Mais lidas da semana