Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé aprova LOA 2021 com orçamento estimado em 2,09 bilhões de reais

Publicado

em

 

Os vereadores de Macaé encerraram seus mandatos da legislatura 2017-2020 em sessão extraordinária nesta segunda-feira, 21, quando votaram o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) referente ao exercício de 2021.

Com um orçamento previsto de 2,09 bilhões de reais, valor 11% menor do que o estimado para este ano, o projeto foi aprovado com mais de 150 emendas dos vereadores, que também aproveitaram a sessão virtual para se despedir de seus mandatos.

Dos 17 vereadores da legislatura 2017-2020, apenas Cesinha (PROS), Alan Mansur (CIDADANIA), Guto Garcia (PDT), George Jardim (PSDB) e Zé Prestes (CIDADANIA) foram reeleitos nas eleições municipais do último dia 15 de novembro.

“Precisamos priorizar a compra de vacinas, diante de uma pandemia que destroçou todos os planejamentos”, afirmou o vereador Marcel Silvano (PT), autor de projeto de lei que destina 17,1 milhões de reais para a compra de vacinas contra o coronavírus.

Apesar de aprovado, o orçamento recebeu críticas da oposição, entre eles o vereador Maxwell Vaz (SOLIDARIEDADE), que entende que os problemas do texto exigirão remanejamentos do próximo prefeito, o deputado estadual Welberth Rezende (CIDADANIA), que venceu o pleito deste ano.

“[A LOA 2021] Não apresenta as prioridades adequadas. A nova gestão terá de fazer remanejamentos e planejar a retomada da economia pela criação de empregos”, avaliou Maxwell Vaz.

Outro vereador que se despede da Câmara oficialmente a partir de 31 de dezembro, o vice-presidente da Casa, vereador Julinho do Aeroporto (PSDB), lembra que o futuro prefeito já começará o mandato, em 1 de janeiro de 2021, com um passivo frente aos servidores, sem reajustes desde 2016.

Julinho do Aeroporto foi um dos parlamentares com mais de 1 mandado que não foram reeleitos, que fizeram discursos de despedida, assim como Marcel Silvano, Paulo Antunes (PSDB) e Dr. Luiz Fernando (CIDADANIA).

Dos que ocuparam pela 1ª vez uma cadeira na Câmara, mas também não foram reeleitos, os vereadores Dr. Márcio Bittencourt (CIDADANIA), Cristiano Gelinho (CIDADANIA), Marvel (REDE) e Val Barbeiro (PSDB), também participaram de suas últimas sessões neste ano.

Dos 17, apenas 3 não concorrerão à reeleição, a vereadora Renata Paes (DEM) também se despediu do cargo, assim como Maxwell Vaz e Robson Oliveira (PTB), que acabaram derrotados pelo futuro prefeito de Macaé na disputa pelo Executivo.

Por fim, o atual presidente da Casa, Dr. Eduardo Cardoso (PODE) encerra sua passagem pela Câmara Municipal depois de 7 mandatos e 28 anos como vereador de Macaé, tendo ocupado a presidência da Casa por 4 vezes, de 2013 a 2020, e outras duas entre 2005 e 2008, e que agora verá seu filho, Thales Coutinho (PODE), assumir uma cadeira no Legislativo macaense a partir de 1 de janeiro de 2021.

“Eu mantive os meus valores, que foram os de [Leonel] Brizola, [Pepe] Mujica e Ulisses Guimarães. Nunca quis ser prefeito. Gosto das decisões colegiadas e sempre admirei as pessoas que são poderosas sem deter o poder, como Henfil e Betinho”, se despediu Dr. Eduardo.

Na próxima legislatura, que vai de 1 de janeiro do ano que vem até 31 de dezembro de 2024, a Câmara Municipal de Macaé será composta, além dos 5 vereadores reeleitos e do filho do presidente da Casa, por Edson Chiquini (PSD), Paulo Paes (DEM), Iza Vicente (REDE), Luiz Matos (REPUBLICANOS), Tico Jardim (PROS), Rafael Amorim (PDT), Rond Macaé (PATRIOTA), Luciano Diniz (CIDADANIA), Reginaldo do Hospital (PODE), Professor Michel (PATRIOTA), e Amaro Luiz (PRTB).

Mais lidas da semana