Mídias Sociais

Política

Cabo Frio apresenta prévia da Lei orçamentária de 2018

Avatar

Publicado

em

 

Vereadores apresentaram emenda para investir 53 milhões e 200 mil, que seriam destinados a COMSERCAF em outras pastas

Na manhã desta quinta-feira, (30), o município de Cabo Frio apresentou à população uma prévia da Lei Orçamentária Anual de 2018. A audiência pública realizada no auditório da Prefeitura Municipal foi um momento, onde a população pode tirar suas dúvidas e opinar sobre o tema.

Na ocasião, foi apresentado o valor de R$ 845 milhões referente a receita anual do município. Deste valor cerca de 63% chegam através de recursos Federais e Estaduais. Lembrando que os valores apresentados não são dinheiro em caixa, mas sim uma previsão do que o município deve arrecadar durante o ano.

Com base neste valor, o município planeja um gasto de R$ 479 milhões no pagamento de folha de pessoal e encargos pessoais; Um milhão 162 mil para pagar juros e multas acumulados devido ao atraso de pagamentos; R$ 271 milhões na manutenção do corpo administrativo, inserido os gastos do poder Executivo e Legislativo; R$ 168 milhões serão voltados para investimentos no município, sendo que R$ 32 milhões deste valor serão frutos de convênios; R$ 12 milhões serão utilizados para pagar dívidas com o INSS e o Ibascaf e 13 milhões são de passivos contingentes.

Dentre as principais preocupações apresentadas pela população, desde o início da divulgação do orçamento, estava o alto valor destinado a Comsercaf. Durante a audiência pública, o vereador líder da base do Governo, Miguel Alencar, aproveitou o momento para anunciar uma emenda proposta pelos 13 vereadores da base do Governo, que transfere cerca de 50% da autarquia para outras pastas.

“Nessa emenda nós propomos retirar R$53 milhões e 200 mil da Comsercaf. Esse valor não será distribuído só para a educação, mas também para os outros setores. Essa é a proposta inicial que vamos apresentar na Câmara dos vereadores no próximo dia 07”, explicou o vereador.

Na emenda, os vereadores propõe que deste valor R$ 19 milhões sejam destinados para obras; R$ 15 milhões acrescidos na educação; R$ 12 milhões na saúde; Um milhão no turismo; um milhão para a ciência e tecnologia; um milhão para a cultura; 400 mil para o meio ambiente; um milhão para o esporte; um milhão para agricultura; um milhão e 800 para ordem pública e mobilidade urbana.

Para o vereador líder da oposição, Vanderlei Bento, os R$ 15 milhões acrescidos no orçamento da educação ainda não resolvem o problema. O vereador também ressaltou que a bancada de oposição estará atenta e fiscalizando para que a emenda seja cumprida.

“Não adianta colocar um milhão para a cultura, para o esporte e depois remanejar para Comsercaf de novo. A base da oposição reforça que estará cuidando o ano todo deste dinheiro”, enfatizou Vanderlei.

Ainda com relação a preocupação dos servidores da educação referente ao orçamento destinado a pasta, foi informado sobre a nova luta para entregar o Ensino Médio ao Estado. Na ocasião, a comissão técnica do governo informou que o planejado é de que sejam destinados R$ 224 milhões durante o ano para educação. Sabe-se que esse orçamento não é o suficiente, mas é o que o município tem no momento. Diante deste quadro delicado, o município pode tentar novamente entregar o ensino médio ao Estado, o que geraria uma economia de R$ 18 milhões ao município.

O encontro foi encerrado com o presidente do legislativo, Aquiles Barreto, convidando à população para continuar participando.

“Esse é um momento Ímpar. Cabo Frio está há quatro anos sem discutir o orçamento. Começamos a discutir o orçamento de 2018 em setembro e vamos finalizar até o dia 15 de dezembro. Se ainda tiverem propostas a serem apresentadas procurem um dos vereadores e seu gabinete”, concluiu o vereador.

Thaiany Pieroni

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais lidas da semana