Mídias Sociais

Política

Anuário da Firjan reforça novo momento de crescimento da indústria do petróleo no Estado do Rio e na região

Publicado

em

 

A Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) anunciou, durante lançamento do seu Anuário do Petróleo no Rio 2021, nesta semana, que o mercado de óleo e gás deve inaugurar um novo ciclo de crescimento no Estado do Rio nos próximos anos, o que promete gerar ótimos impactos para a região do entorno da Bacia de Campos.

O lançamento do anuário aconteceu nesta terça-feira, 24, durante a websérie Óleo, Gás e Naval, organizada pela Firjan de maneira virtual, e que contou com a presença de autoridades políticas e empresariais do Estado do Rio.

Presidente do Conselho de Petróleo, Gás e Naval da Firjan e diretor nacional da SBM Offshore no Brasil, Bruno Freitas afirmou que o momento, após os primeiros impactos da pandemia do coronavírus no país, é de voltar a investir no setor.

“Esse novo ciclo de retomada do petróleo é uma oportunidade ímpar que o Estado tem que agarrar com unhas e dentes para conseguir esse avanço”, avaliou Bruno Freitas no 2º dia de lançamento do anuário, nesta quarta-feira, 25.

Na ocasião, o executivo também destacou que o anuário apresenta, entre outros dados relevantes para o setor de óleo e gás, o investimento total na cadeia, incluindo os do polo naval, que devem ter grande impacto nas bacias de Campos e de Santos.

“Cada plataforma traz um contrato de até 26 anos e benefício para toda cadeia de suporte. Só no Campo de Búzios (na Bacia de Santos), estão previstas 12 plataformas do tipo FPSO. É um crescimento exponencial”, ponderou Bruno Freitas.

Também presente ao encontro virtual, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Vinícius Farah (MDB), aproveitou o evento para anunciar a criação da Superintendência da Economia do Mar, após pleitos da Firjan para a valorização dessa cadeia.

“É impressionante a quantidade de empresas nacionais e internacionais que todo dia nos procuram interessadas em investir no mercado de petróleo e gás. Estamos fazendo a modelagem de legislações e vamos usar ferramentas para agilizar os processos”, afirmou Vinícius Farah.

A ideia ganhou apoio do deputado estadual Luiz Paulo (CIDADANIA), que lembrou um projeto de lei apresentado por ele e pela deputada estadual Célia Jordão (PATRIOTA), que prevê a criação de um programa de incentivo à economia do mar.

“Novas indústrias que gerem emprego e renda aqui, e que os bilhões não sejam nas plataformas no exterior, mas na nossa indústria naval, um dos polos de desenvolvimento do Estado”, reforçou Luiz Paulo.

Segundo os dados do anuário, entre 2014 e 2017, a participação do Estado do Rio na produção nacional de petróleo era menor do que 70%, crescendo para 79% em 2020, alcançando 80% nos primeiros 6 meses de 2021.

O documento da Firjan confirma que o Estado do Rio já tem mapeados investimentos na casa dos 50 milhões de reais entre 2021 e 2023, gerando uma estimativa de mais de 63 mil empregos no marcado de óleo e gás nos próximos anos.

Do evento, participaram ainda os deputados federais, Christino Áureo (PP-RJ), e Paulo Ganime (NOVO-RJ); o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira; o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque; o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério, José Mauro Ferreira Coelho; a diretora da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Symone Araújo; a diretora da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Heloisa Borges; o diretor executivo da Petrobras, Roberto Furian Ardenghy; e o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), Eberaldo de Almeida Neto.

Mais lidas da semana