Mídias Sociais

Destaque

Macabu: Caso Dandara completa um ano e assassino confesso ainda não foi julgado

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Jovem foi morta com dois tiros pelo ex-namorado. Ele confessou o crime três dias depois e levou a polícia até o local onde o corpo foi deixado.

No dia 13 de setembro do ano passado a pequena cidade de Conceição de Macabu procurava por Dandara. O desaparecimento da jovem, de 21 anos, comoveu todo o município de 23 mil habitantes. Na internet, houve uma forte campanha com muitos compartilhamentos em busca de sinais da jovem, que trabalhava como agente de endemias, e era muito conhecida no município pela sua simpatia e carisma.

Familiares registram um Boletim de Ocorrência e aguardavam as investigações da polícia. Até que o celular da menina é confiscado e o principal suspeito vira o namorado, Gabriel de Barros Rangel. Poucos sabiam dessa relação, que era mantida em segredo.

Poucos dias depois, a população quis acompanhar de perto. Centenas de pessoas lotaram a porta da 122ª Delegacia Policial de Conceição de Macabu (122ª DP), e só saíram de lá com respostas. Gabriel começa a contar a verdade. Desde o início, ele sabia sobre o paradeiro de Dandara. Confessou ter matado a jovem com dois tiros na cabeça. Ele levou a polícia até o corpo, no distrito Macabuzinho.

O processo corre em segredo de Justiça. Um ano depois, Gabriel só participou de uma audiência no Fórum de Conceição de Macabu: a de instrução. De acordo com fontes ligadas ao jornal, ainda não há uma nova audiência marcada. Gabriel segue preso em Itaperuna.

Fontes do Instituto Médico Legal (IML), informaram que Dandara não estaria grávida. A nossa reportagem teve acesso ao laudo. A família também recebeu a mesma informação, de modo não oficial. Esse, segundo a polícia, teria sido o principal motivo de Gabriel ter cometido o crime: uma suposta gravidez.

Dandara ainda é muito lembrada. A crueldade e frieza de Gabriel chocaram a população, que conhece seus pais e sabem o bom caráter de sua família. Mas a partir desse caso, namoradas do jovem relataram comportamentos ruins do rapaz.

No último dia 7 de Setembro, Dandara foi lembrada durante o desfile cívico. Uma campanha sobre a violência contra as mulheres foi montado na cidade. Familiares ainda pedem por respostas e dizem estar sem muitas informações. A cidade aguarda com grande ansiedade por esse julgamento, e ainda clama por justiça.


 

Mais lidas do mês