Mídias Sociais

Destaque

Formandos de Macaé que levaram calote de empresa prestam queixa na delegacia e promovem vaquinha para viabilizar festa

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Formandos dos cursos de Administração e Engenharia de Produção da Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos (FeMASS), prestaram queixa no fim da noite desta quarta-feira (24), na 123ª Delegacia Policial de Macaé (123ª DP), contra a empresa Aloha Eventos, contratada para promover a festa de formatura unificada das duas turmas, que ocorreria no último sábado (20).

O boletim de ocorrência foi registrado contra a Aloha, sediada na Barra da Tijuca, na zona Oeste do Rio, e o responsável pela empresa, Rodrigo Lopes Marques. A queixa foi prestada por três representantes de turma. Ao todo 24 formandos foram lesados. Juntos, eles pagaram cerca de R$ 100 mil para a realização do evento que não aconteceu. Tudo porque a festa foi cancelada pela empresa, faltando menos de cinco horas para o horário previsto.

Segundo os formandos, a empresa não compareceu ao local da festa, o espaço Chandelier, localizado na Virgem Santa, em Macaé.  Por meio de um arquivo de texto enviado através de um grupo de whatsApp criado pela empresa, o dono da Aloha, que se apresenta como Rodrigo Anjos, avisou a um dos representantes de turma que eles não teriam a tão esperada formatura.

“A partir daí, ele bloqueou todo mundo nas redes sociais e não atendia mais telefone”, conta Gleisiane Corrêa, formanda da turma de Engenharia de Produção, acrescentando que várias pessoas têm sido solidárias aos formandos.

“Algumas empresas têm nos procurado para realizar a festa, temos algumas ofertas de doações também, mas ninguém tem mais condições de fazer nenhum pagamento”, comenta. Para viabilizar a comemoração, a turma abriu uma vaquinha virtual que pretende arrecadar os R$ 100 mil roubados pela empresa.

Rodrigo Lopes é o dono da empresa Aloha e responsável por comunicar o cancelamento do evento.

Nas redes sociais, a página da Aloha Formandos possui vários comentários de pessoas indignadas com o cancelamento da festa e até pessoas que não receberam o pagamento pelos serviços prestados a empresa.

Esse não foi o único evento que a empresa Aloha Formandos deixou de fazer. Mais de 140 alunos de faculdades públicas e particulares do Rio pagaram pela formatura, mas quando chegaram ao local do evento, também no último sábado (20), descobriram que a festa tinha sido cancelada. Somente na organização desta festa, a Aloha arrecadou R$ 450 mil.

O evento aconteceria na casa de festas Ribalta, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, mas a empresa responsável desapareceu. A festa de formatura do Ensino Médio dos alunos do Colégio Pedro II, que estava marcada esta segunda (22), às 23h, também na casa de eventos Ribalta, foi cancelada.

Como ajudar os alunos da FeMASS, em Macaé:

 

Para contribuir com a vaquinha, basta entrar no site e contribuir com qualquer valor: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/549254

Mais lidas da semana