Mídias Sociais

Destaque

Acusado de estuprar duas crianças de 6 e 11 anos, é preso em Arraial do Cabo

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Policiais civis de Arraial do Cabo (132ª DP) prenderam um homem acusado de abusar sexualmente de duas meninas, de seis e 11 anos de idade, durante três meses. As vítimas são irmãs e têm grau de parentesco com o agressor.

O criminoso, de 43 anos, foi preso no final da tarde desta quarta-feira (27), no bairro da Figueira, em Arraial do Cabo. Contra ele, havia um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça.

Em depoimento na delegacia, o acusado confessou os crimes. Além de violentar sexualmente as meninas, o criminoso também batia nelas e as ameaçava de morte, como conta a delegada de Arraial do Cabo, Patrícia Aguiar.

"As investigações revelaram que os abusos sexuais aconteceram durante dois meses. Esse agressor violentava as vítimas durante a madrugada, quando todos estavam dormindo. Além de abusar das meninas, ele batia nelas e ameaçava matar a família das meninas, caso contassem das agressões para alguém. Na delegacia, ele confessou os crimes", disse a delegada.

O caso foi comunicado à polícia pela mãe das meninas, que percebeu um comportamento diferente nas crianças. Elas passaram a chorar com frequência, a dizer que não gostavam do parente e não queriam mais frequentar a casa onde ele mora. A mãe, então, chamou as meninas para conversar e elas relataram o que vinha ocorrendo. A polícia investiga abusos a pelo menos outras duas vítimas do suspeito.

Horas antes, os policiais civis da delegacia de Arraial do Cabo haviam prendido outro homem, que estuprou duas crianças, durante seis anos. As vítimas, uma menina e um menino, são irmãos e começaram a ser abusadas sexualmente quando tinham seis e 11 anos de idade, respectivamente. Nesse caso, o agressor, de 53 anos, também tem grau de parentesco com as vítimas e as ameaçava para que não contassem sobre os estupros. Contra ele, havia um mandado de prisão expedido pela Justiça. As agressões também foram descobertas por causa do comportamento diferente dos menores.

"É muito comum que os agressores de menores sejam do círculo familiar e ameaçem as vítimas, que ficam coagidas e sofrendo caladas. Por isso, é muito importante que pais e responsáveis fiquem atentos ao comportamento das crianças, observando com atenção qualquer mudança de padrão, e sempre conversem com elas para que se sintam seguras para contar qualquer coisa que possa acontecer", orientou a delegada Patrícia Aguiar.
Os dois criminosos foram indiciados por estupro de vulnerável.

Mais lidas da semana