Mídias Sociais

Destaque

Prefeituras da região se preparam para Dia D da vacinação contra febre amarela

Publicado

em

 

Ação da Secretaria Estadual de Saúde, que seria em fevereiro, foi antecipada para este sábado, 27, devido ao avanço da doença no estado. 

As prefeituras de diversas cidades da Região dos Lagos e do Norte Fluminense, entre elas, Macaé, Rio das Ostras e Quissamã, se preparam para o Dia D de vacinação contra a febre amarela, que acontecerá neste sábado, 27.

A ação, promovida pela Secretaria Estadual de Saúde, seguindo orientações do Ministério da Saúde, e que seria originalmente realizada em fevereiro, foi antecipada devido ao avanço da doença no Estado do Rio.

Nesta quarta-feira, 24, as prefeituras desses 3 municípios anunciaram como funcionará o atendimento em cada um deles neste fim de semana. A preocupação da Secretaria Estadual de Saúde aumento nos últimos dias com a confirmação de 8 casos de morte pela doença em todo Estado do Rio neste ano, embora não tenha havido nenhum na região.

Macaé – Em Macaé, a Secretaria de Saúde disponibiliza todas as 39 unidades de saúde da cidade para a vacinação da população, e durante o Dia D, pretende oferecer doses em 12 postos, das 8h às 16h, para quem ainda não foi imunizado.

Para a coordenadora de Vigilância em Saúde, Ana Paula Dal-cin, a vacinação contra febre amarela é a medida mais importante e eficaz para prevenção e controle da doença.

“Com 98% da população-alvo vacinada, cerca de 194.500 pessoas, a dose da vacina em Macaé não será fracionada, faremos a dose plena, sem necessidade de reforço posterior”, revelou Ana Paula.
A prefeitura lembra que podem receber a vacina contra a febre amarela pessoas de 9 meses a 59 anos que não tenham contraindicação para o uso da vacina, e pessoas com idade acima de 60 anos que tenham uma declaração médica liberando o uso.

Ana Paula ressalta que quem já tomou alguma dose da vacina, em qualquer idade, não precisa de reforço, pois a dose é única e vale para toda a vida.

Os 12 postos de vacinação do Dia D são as unidades do Estratégia Saúde da Família  (ESF) do Lagomar, Córrego do Ouro, Trapiche, Frade, Sana, Bicuda, Glicério, Fronteira, além dos prontos-socorros, Aeroporto e municipal, da Casa da Vacina, e da Policlínica Novo Cavaleiros.

Rio das Ostras – No município, a prefeitura informou que as equipes da Saúde de Rio das Ostras estão preparadas para mais uma campanha de vacinação contra a febre amarela, que, na cidade, começa mais cedo, já nesta quinta-feira, 25, e com o Dia D, neste sábado.

Segundo a chefe de imunização de Rio das Ostras, Andreia Pereira, o município aderiu à campanha com objetivo de buscar os possíveis faltosos e turistas que se encontram na cidade nesta época do ano, já que, até dezembro de 2017, o município já havia atingido uma cobertura de 90% de vacinados entre a população.
“Esperamos preparados para atender as pessoas que trabalham e ainda não tiveram tempo de ir até uma unidade de saúde para se vacinar”, garantiu Andreia.
Ainda de acordo com a chefe de imunização municipal, todas as unidades de saúde do município têm a vacina, nos seus horários de rotina, e a campanha segue até o dia 8 de fevereiro, véspera do Carnaval, quando a cidade recebe muitos visitantes.

A prefeitura lembra ainda que gestantes e idosos que moram em área considerada de risco poderão se vacinar apenas mediante autorização médica, e que as crianças só poderão ser imunizadas com cartão de vacina, e acompanhadas pelos pais ou responsáveis.
No sábado, o atendimento será realizada, das 8h às 13h, nos Postos de Saúde da Família (PSFs) de Mar do Norte, Cantagalo e Rocha Leão, e das 8h às 17h, nos postos de saúde do Jardim Marilea, Cidade Praiana e Âncora, além dos Centros de Saúde de Nova Cidade e Extensão do Bosque, e da Casa da Vacina, que funciona no Posto Dona Ediméia.
Assim como em Macaé, a Secretária de Saúde de Rio das Ostras, Rosimeri Azevedo, alerta para que as pessoas que já se vacinaram na campanha do ano passado não precisam de nova imunização.
“A baixada litorânea está muito bem atendida e não há motivo para alarde. O Estado autorizou fazer a vacinação conforme a logística de cada município e estamos preparados para esta nova campanha, que será para atingir toda nossa cobertura”, completou Rosimeri.

Quissamã – Em Quissamã, a prefeitura anunciou que oferecerá a vacina em postos espalhados pelo município, com objetivo de chamar a atenção da população para a importância de se imunizar contra a doença.

De acordo com a Secretaria de Saúde, as vacinas estarão disponíveis no Centro de Especialidades, das 8h às 15h; e nas Unidades de Saúde da Família (USF) de Morro Alto, Alto Grande, Santa Catarina, Barra do Furado e Machadinha, com atendimento das 8h às 13h.

Diferente da média do Estado, onde apenas 46% do público-alvo está vacinado, em Quissamã, assim como em Rio das Ostras, 90% da população já recebeu a dose integral da vacina, e por isso, não precisará de reforço.

“Esse alto índice se deve à vacinação contínua, que vem sendo ofertada diariamente no Centro de Especialidades”, explicou o governo municipal.

 Contraindicação – Entre os casos de contraindicação da vacina estão, crianças menores de 6 meses de idade; pessoas com história de anafilaxia comprovada relacionada a substâncias presentes na vacina, como ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina e outras; pacientes com imunossupressão grave de qualquer natureza; imunodeficiência devido a câncer ou imunodepressão terapêutica, como uso de corticoides em altas doses; pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 menores que 200 células por milímetro cúbico (células/mm³), ou menor de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 13 anos; pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras, como corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores; pacientes submetidos a transplante de órgãos; pacientes com história pregressa de doenças do timo, como miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica; pacientes portadores de lúpus eritematoso sistêmico tendo em vista a possibilidade de imunossupressão; e gestantes e mulheres amamentando até os seis meses de idade do bebê.
Estado do Rio – Apesar de nenhum caso fatal ter sido registrado nas cidades da região, já chegou a 8 o números de mortos pela febre amarela em 2018 no Estado do Rio, de acordo com o último balanço liberado pela Secretaria Estadual de Saúde, na última segunda-feira, 22.

O município de Valença, no Centro-Sul Fluminense, é o município que registra maior número de mortes, com 4 casos. Segundo a Agência Brasil, a Prefeitura de Valença informou que a vítima era um homem de 44 anos, e que residia na área rural e não havia tomado a vacina.

Ainda de acordo com o governo local, mais de 36 mil pessoas já haviam sido vacinadas no município entre 13 e 22 de janeiro, e a vacinação continua em todas as unidades de saúde de Valença.

Além do Centro-Sul, que teve mais um caso de morte registrado, em Miguel Pereira, a Região Serrana do estado, que fica próxima da Região dos Lagos e do Norte Fluminense, já registrou 3 casos de óbito pela febre amarela, sendo 2 em Teresópolis e 1 Nova Friburgo, município localizado há menos de 70km de Casimiro de Abreu e do Sana, na região serrana de Macaé.

Além de casos fatais, nesses municípios foram confirmados ainda 20 casos de febre amarela silvestre em humanos em 2018, e a doença segue se espalhando pela Região Serrana, tendo sido registrados ainda casos da doença em humanos em Petrópolis e Duas Barras, também na Região Serrana.

Macaco não é transmissor – Com o avanço da doença no Estado do Rio, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde do Rio reforça a informação de que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela, e que a doença é transmitida por picada de mosquitos.

No meio silvestre, em áreas florestais, o mosquito responsável pela transmissão da febre amarela é o Haemagogus, enquanto que, no meio urbano, o vetor da doença é o já temido Aedes aegypti, mesmo da dengue, da zika e da febre chikungunya.

“Ao encontrar macacos mortos ou doentes, que apresentem comportamento anormal, que está afastado do grupo, com movimentos lentos etc., o cidadão deve informar, o mais depressa possível, às secretarias de Saúde do município ou do estado. Além disso, é importante que as pessoas que ainda não se vacinaram busquem, o quanto antes, um posto de saúde próximo de casa para serem imunizadas”, alertou a Secretaria Estadual de Saúde, à Agência Brasil, da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), do governo federal.

Tunan Teixeira

Foto: Akilla Ribeiro

Mais lidas da semana