Mídias Sociais

Esporte

Flamengo de Domènec começa o Brasileiro com derrota em casa diante do Atlético-MG

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo de Domènec Torrent não começou bem o Campeonato Brasileiro. Na estreia do técnico espanhol, o Rubro-Negro acabou surpreendido dentro de casa com a derrota por 1 a 0 diante do Atlético-MG no último domingo no Maracanã. Embora tenha criado boas oportunidades na primeira etapa, o Fla se mostrou bastante desorganizado no segundo tempo e acabou amargando o seu primeiro revés na competição. O único gol da partida foi anotado contra, por Filipe Luís.

Sob o comando de Jorge Jesus, o Flamengo se mostrava um time extremamente organizado em campo. Só que agora com Domènec, a equipe viveu o oposto disso. A desorganização, principalmente na etapa final, pode ser explicada pela falta de conhecimento do elenco. Isso porque Domènec assumiu o Fla na segunda-feira (3), tendo menos de uma semana até o embate contra o Atlético-MG.

O fato de ter tirado Arrascaeta, Gerson e Everton Ribeiro, jogadores considerados pilares do time, também pesou contra o treinador. As entradas de Pedro, Michael e Vitinho não surtiram o efeito desejado e o Flamengo pouco ameaçou o adversário nos últimos 45 minutos. Mas o fato é que ainda é muito cedo para qualquer tipo de avaliação.

"Vi muitos jogos do Flamengo e todos os jogos contra o Fluminense nesse ano. Creio que o problema para nós - e isso não é desculpa - foi que o Atlético-MG jogou quatro jogos nos últimos 16 dias e nós jogamos o último há 24 dias. Conheço perfeitamente as qualidades dos jogadores, mas o segundo tempo eles se defenderam com cinco jogadores e eu queria jogar aberto com cinco atacantes porque somos Flamengo e queremos ganhar. Um a um não é suficiente. Às vezes não é possível ganhar, especialmente se você tem muitas oportunidades. No primeiro tempo não fizemos gol e depois tivemos azar ao fazer um gol contra. Mas isso é futebol, é um campeonato longo e temos tempo de jogar muito melhor", justificou Torrent logo após a partida.

Também no pós-jogo, o treinador admitiu que pode ter se precipitado em algumas de suas escolhas no decorrer da partida.

"Talvez seja culpa minha quando no segundo tempo estivemos totalmente desorganizados, tínhamos que jogar mais compactos e juntar as linhas, mas quando você está em uma grande equipe, os jogadores querem ganhar, ganhar e ganhar e às vezes é melhor ter a bola e atacar no momento certo. Por isso eu digo que talvez seja minha culpa porque o treinador sempre pode organizar melhor o time. Mas eles deixaram tudo em campo", encerrou Domènec.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana