Mídias Sociais

Esporte

Estádio Moacyrzão volta a ser interditado e Macaé terá que transferir partida do Carioca

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Estádio Municipal Cláudio Moacyr de Azevedo, o Moacyrzão, voltou a ser interditado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). A interdição foi feita após  a queda de parte da cobertura da arquibancada que fica atrás de um dos gols. A estrutura cedeu durante a chuva que caiu sobre a cidade na noite da última segunda-feira (6).

Por questões de segurança, a Ferj optou por interditar o local até que a estrutura seja reparada. O local deverá passar por uma nova avaliação antes de ser novamente liberado. Nesta terça, foi realizada uma operação para a retirada das estruturas danificadas. Durante a retirada, parte do material encostou nos fios de alta tensão, o que acabou dando início a um incêndio, posteriormente controlado.

De acordo com a Ferj, o Macaé terá até às 12h desta quarta-feira (8) para anunciar o novo local da partida do próximo sábado (11) diante da Portuguesa pela Seletiva do Campeonato Carioca. Caso o local não seja apontado pelo clube, o confronto deverá ser transferido para o Estádio Ferreirão, em Cardoso Moreira.

A interdição acaba por prejudicar bastante o Macaé em um momento decisivo da Seletiva. No último sábado (4), o Alvianil Praiano venceu o Friburguense por 1 a 0 no próprio Moacyrzão. O resultado fez o time chegar aos seis pontos ganhos em três jogos e também subir para a segunda posição da Seletiva, dentro da zona de classificação. Acontece que o duelo contra a Portuguesa no sábado (11) seria novamente realizado no Estádio e poderia definir o futuro do time no torneio. O Macaé luta para ficar entre os dois primeiros para ter direito de disputar a fase principal do Carioca, onde estarão os quatro grandes do Rio. O time é naturalmente mais forte atuando em seus domínios, algo que agora não poderá acontecer com a interdição. Nesta quarta (8), a equipe macaense entra em campo pela Seletiva diante do Americano, às 15 horas, em Cardoso Moreira.

Foto: Rui Porto Filho

 

 

Mais lidas da semana