Mídias Sociais

Esporte

Dirigente do Botafogo detona postura de rival com relação ao coronavírus

Publicado

em

 

Homem forte no futebol do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro fez duras críticas ao Flamengo com relação ao coronavírus. O Rubro-Negro vem articulando medidas nos bastidores uma forma de voltar a disputar partidas oficiais. Hoje membro do comitê gestor do Alvinegro, Montenegro classificou a ação como "falta de respeito à vida humana".

Segundo informações, o Flamengo teria acionado o governador do Rio, Wilson Witzel para poder utilizar a Gávea para a realização de partidas, ainda que sem a presença de torcedores. A postura vai na contramão de outros clubes, que estão mantendo a quarentena e as férias coletivas a espera de uma posição oficial das autoridades de saúde.

"O Flamengo, que já passou por uma tragédia com os garotos, a respeito da qual foi colocado que houve uma falta de atenção, está querendo arriscar de novo a vida dos atletas? Que maluquice é essa de querer jogar? Por que o Carioca é a coisa mais importante do mundo? É ridículo o Flamengo acionar o governador, e o governador que está com coronavírus. Se fizer isso, ele (Flamengo) está preparando uma outra tragédia. Agora, calculada. A anterior foi o acaso. Ninguém imaginava. O Flamengo deveria ser, até pelo trauma, o primeiro a defender a quarentena, mostrando que aprendeu a lição. Muito triste isso. Fico envergonhado. É uma falta de sensibilidade e respeito à vida humana", afirmou Montenegro.

O dirigente também aproveitou a oportunidade para reforçar o posicionamento do Botafogo em meio a pandemia do coronavírus.

"A posição do Botafogo é que não vai treinar, não vai fazer seus atletas saírem de acasa muito menos jogarem antes que o Ministério da Saúde, médicos, secretários estaduais e municipais autorizarem as pessoas a saírem. Se o Flamengo quiser continuar nessa linha, que ele vá com os menores e quem mais quiser ir. O Botafogo não vai", encerrou o dirigente.

Foto: Vitor Silva

Mais lidas da semana