Mídias Sociais

Economia

Pequenos negócios geram empregos e superam expectativas

Publicado

em

 

Macaé registra desaquecimento nas demissões. 

Tânia Garabini

Mesmo com a crise, que ainda se faz presente na região, Macaé - de 2017 a outubro deste ano - vem apresentando redução no volume de demissões no comércio, serviços e extração mineral (se lê operação petrolífera) isso graças às pequenas e médias empresas, conforme dados coletados junto ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Em todo o país, a geração de empregos nos pequenos negócios, nos últimos 10 meses, já superou a expectativa de todo ano, com a criação de 64.696 novos postos de trabalho em outubro, atingindo a marca de 650,4 mil vagas em 2018. Conforme levantamento do Sebrae, com dados do Caged os números representam 80% dos empregos gerados no país, cinco vezes mais que as médias e grandes corporações, que no mês passado extinguiram 6.610 vagas. O saldo positivo nas micro e pequenas empresas foi registrado em todas regiões do país.

Em Macaé, no ano de 2017 o setor de serviços contabilizou 40.962 empregos, sendo 16.591 contratações suplantadas por 19.300 demissões. Nesse quesito, os cargos com maior número de encerramento foram de auxiliar de escritório, assistente administrativo e motorista de carro de passeio. Já de janeiro a outubro de 2018 foram registrados 51.523 trabalhos, com 15.597 admissões e 18.367 demissões, em 4.492 estabelecimentos existentes. Em todo o país, este ano, os pequenos negócios do setor de Serviços, mais uma vez, foram o destaque com a abertura de mais de 30 mil vagas em outubro.

No Comércio nesses dez últimos meses foram criados 12.925 novos postos de trabalho com 4.558 admissões contra 4.278 demissões. Já durante todo 2017, Macaé teve 12.760 vagas no setor, havendo 4.858 contratações e 5.547 demissões. Com maior volume de desempregados no cargo de vendedor de comércio varejista, operador de Caixa, atendente de lojas e mercados e repositor de mercadorias. No setor de extração em 2018 foram registradas 91 admissões e 981 demissões, volume igual durante todo 2017.

No Brasil

No país, a previsão de que os pequenos negócios fechem 2018 com um saldo entre 550 mil e 600 mil empregos, o maior dos últimos três anos. De janeiro a outubro de 2018, os pequenos negócios geraram um volume de empregos 31,2% acima do saldo de postos de trabalho gerados pelos empresários de mesmo porte no mesmo período do ano passado.

No Comércio foram criados 28,6 mil novos postos de trabalho, enquanto que na Construção Civil o saldo positivo foi de 5.990 vagas e na Indústria, 8.523 novas contratações. No acumulado de 2018 até outubro, a geração de empregos foi sustentada pelos pequenos negócios do setor de Serviços, que responderam pela criação de 374,7 mil novos postos de trabalho no país, 58% do total de empregos gerados neste ano.

O segundo setor com melhor desempenho foi a Construção Civil, tendo registrado saldo acumulado de 102 mil empregos em 2018. “Temos acompanhado de perto a força empregadora das micro e pequenas empresas, que, mesmo num cenário de mudanças na condução política do país, continuam gerando vagas. Neste cenário, é importantíssimo que o novo governo direcione ações para as MPE e programe melhorias no ambiente de negócios”, analisa o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Crédito: Arquivo


 

Mais lidas do mês