Mídias Sociais

Economia

Poços Maduros é tema de reunião da Redepetro

Publicado

em

 

Gerente da Petrobras fala sobre estimulação e investimento 2019

Tânia Garabini

 

O uso de técnicas para estimulação de poços maduros e perspectivas de novos investimentos para o próximo ano serão os dois temas abordados pelo gerente geral da Bacia de Campos, Marco Guerra, na última reunião da Redepetro, no auditório do SESI, a partir das 8h30 do dia 4 de dezembro (terça-feira). Com a estimulação de poços maduros, haverá mais empresas na região e consequentemente uma nova onda de empregos offshore.

Com reservas provadas de 15,3 bilhões de barris no país, a Petrobras vem incrementando seus esforços exploratórios não apenas na região do pré-sal e em novas áreas de alto potencial como também em seus gigantescos campos maduros, que já vinham apresentando declínio na sua produtividade depois de mais de duas décadas de exploração. Isso assegura a maior longevidade das suas operações.

A estimulação representará instalação de novas empresas especializadas na tecnologia e consequentemente na geração de novos empregos offshore, apesar da exigência de mão de obra mais especializada, já que operações usam técnicas específicas. Além disso, o sistema precisa de material específico, onde até a gramadura da areia deve estar dentro do padrão, além de estar esterilizada juntamente com a água, para evitar a contaminação bacteriana no petróleo, o que provoca sua desvalorização.

Outro assunto considerado de suma importância para a economia local será o investimento que a Petrobras adotará em 2019 para todas as bacias petrolíferas, em especial para de Campos, na qual a região está inclusa em seu território. Com a crise do petróleo, dezenas de empresas nacionais e estrangeiras fecharam suas unidades na Bacia, provocando o desemprego de milhares de terceirizados, desaquecendo o mercado econômico em todos os segmentos regionais. Espera-se que a entrada de empresas estrangeiras na exploração do pré-sal brasileiro abre novas perspectivas para o mercado de trabalho no setor de petróleo e gás, especialmente no Norte Fluminense.

Crédito: Divulgação

 


 

Mais lidas do mês