Mídias Sociais

Cidades

Sala de exposição ‘Memória das Águas’: uma valorização da história e da Mata Atlântica

Avatar

Publicado

em

 

Inaugurada no final do mês passado na sede do Parque Atalaia pela Secretaria de Ambiente, a sala de exposição ‘Memória das Águas’ valoriza a história do município e promove exaltação às belezas da Mata Atlântica. Num espaço de 30 metros quadrados, o local expõe dez fotos clicadas pelo fotógrafo e gestor ambiental Rogério Peccioli e quatro painéis com textos sobre a captação de água do parque, inaugurada em 1914, favorecendo o desenvolvimento de Macaé.

Segundo o secretário de Ambiente, Gerson Martins, a sala reflete a grande importância histórica do Parque Atalaia, mostrando para os visitantes referências didáticas e ambientais. “Agradecemos ao gestor do parque, o biólogo Alexandre Bezerra e ao ambientalista Vicente Klonowski pelo amor e dedicação ao Parque Atalaia", comenta. Já o vice-presidente de Acervo e Patrimônio Histórico da Fundação Macaé de Cultura, Ricardo Meirelles, diz que o Solar dos Mellos – que produziu os textos dos painéis – fez análises focando a área histórica do Parque Atalaia.

- A partir do momento em que a canalização de água foi efetuada, sendo levada para o centro urbano macaense, a cidade começou a se desenvolver. Para isso, houve dificuldades financeiras, pois os canos vinham da Inglaterra e eram caros, havendo ainda a necessidade de seu transporte. Tudo isso exigiu grandes investimentos - explica ele. O Solar dos Mellos está ligado à Fundação Macaé de Cultura.

O fotógrafo Rogério Peccioli, que também atua pelo Solar, conta que é extremamente válido preservar os mananciais hídricos, a fim de que as futuras gerações também possam usufruir disso. "A sala de exposição 'Memórias das Águas' contribui para disseminar a conscientização das pessoas sobre os cuidados com a Mata Atlântica", avalia.

Para fornecer as dez fotos que compõem a sala, ele clicou cerca de 600 fotografias, em 14 incursões pelo Parque Atalaia. As fotos expostas mostram a centenária captação de água do parque, que no século passado abastecia a cidade, facilitando seu crescimento econômico.

Dentre as fotos, está uma em que a antiga represa que fazia captação de água é mostrada.Também há registro de tubulação centenária. Outra exibe os dutos elevados dentro da mata. A cachoeira do Escorpião, onde as águas da represa deságuam, também foi clicada.

A principal importância do Parque Atalaia, distante 27 quilômetros de Macaé e situado na RJ 168 (que leva ao Distrito de Córrego do Ouro), é que além de preservar a biodiversidade e os mananciais hídricos, também resgata, compreende e valoriza a história da região. Os funcionários do Parque Atalaia buscam promover a Educação Ambiental, apoiar o Ecoturismo e valorizar pesquisas científicas para a preservação da Mata Atlântica.

Os interessados em conhecer o Parque Atalaia podem visitá-lo de quarta-feira a domingo nos horários de 9h às 16h. Mas quem desejar um guia, deve promover o agendamento pelo e-mail: agendamento.atalaia@gmail.com.

Mais lidas da semana