Mídias Sociais

Cidades

Ministério Público do Rio segue investigando Câmara de Casimiro de Abreu

Avatar

Publicado

em

 

Depois de ter afastado o Presidente da Câmara Municipal de Casimiro de Abreu por 180 dias por denúncias de apropriação indevida de recursos públicos municipais, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) segue investigando o Legislativo da cidade.

Uma semana após o afastamento Presidente Pezão (PSC), o MP-RJ fez uma operação de apreensão de documentos que incluíram processos licitatórios e portarias de nomeação de funcionários.

A operação teria sido liderada pelo Promotor de Justiça Renato Luiz da Silva Moreira, responsável pelo inquérito no qual Pezão é acusado, junto com o ex-chefe de gabinete, Jairo Macabu, e o assessor especial Wilson da Silva Oliveira, de extorquir servidores para ficar com parte da remuneração de servidores nomeados em cargos comissionados e funções gratificadas na Câmara de Casimiro.

O afastamento de Pezão foi decidido pelo Juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, da Vara Única do município, que também decretou o bloqueio dos bens do vereador em até 500 mil reais para garantir o ressarcimento do valor extorquido aos cofres públicos, além da quebra do sigilo bancário e fiscal do presidente.

Vale lembrar que, durante as investigações do MP-RJ, um servidor que teria se negado a participar do acordo, disse que foi coagido a devolver 2 mil reais de seus vencimentos e ficar com 500 reais.

O acordo seria imposto pela quadrilha como condição para nomeação e manutenção nos cargo do Legislativo, imposição que foi confirmada pelo ex-chefe de gabinete, que entregou na Promotoria uma lista de servidores que teriam participado do esquema.

Ao MP-RJ, o Jairo Macabu teria confessado que ele e Wilson Oliveira eram responsáveis pelo recolhimento do dinheiro dos servidores, que posteriormente era entregue a Pezão.

Embora estivesse afastado do cargo desde a última segunda-feira, quando foi notificado da decisão tomada pela Justiça no dia 25 de abril, Pezão ainda usava o carro oficial da Presidência da Câmara, que lhe foi retirado agora por sugestão do MP-RJ. Desde a semana passada, as sessões da Câmara da cidade estão sendo presididas pelo vice-presidente, o vereador Odino Miranda (PSDC).

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana