Mídias Sociais

Cidades

Prefeituras da Região dos Lagos se reúnem para tratar ações preventivas, após vazamento de óleo

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Representantes das Prefeituras de Arraial do Cabo, Búzios e Cabo Frio se reuniram para encontrar soluções preventivas, após as praias das três cidades terem sido atingidas por um vazamento de óleo, oriundo da Bacia de Campos. Participaram do encontro o coordenador de Meio Ambiente da Secretaria de Desenvolvimento de Cabo Frio, Mario Flavio Moreira e os secretários de Meio Ambiente de Arraial do Cabo, Arildo Mendes, e de Armação dos Búzios, Hamber Carvalho.

Na ocasião, os secretários decidiram levar uma proposta à Petrobras para que seja formada uma Brigada Conjunta, com equipamentos de contenção de óleo e com embarcações. A ideia é capacitar guardas marítimos e ambientais das três cidades, além de pescadores, canoístas e surfistas, para que seja possível identificar e prevenir possíveis novos incidentes.

Ficou definido ainda que os secretários irão ao Ministério Público Federal, ainda nesta semana, para que essa exigência seja formatada como uma contrapartida aos danos causados pelo último acidente.

“Quem tem o poder de multar a Petrobras é o Ibama, que emite as licenças para a atuação da empresa. O que nós do Meio Ambiente das três cidades decidimos foi levar uma proposta para a Petrobras de que seja formada uma Brigada Conjunta", explicou o coordenador de Meio Ambiente de Cabo Frio, Mario Flavio Moreira.

 

 

Sobre o acidente - Na última terça-feira, 02, equipes do meio ambiente das cidades de Arraial do Cabo, Búzios e Cabo Frio identificaram resíduos de óleo nas areais de algumas praias. O material foi levado para analise e desde então órgãos ligados ao meio ambiente iniciaram o trabalho para identificar o problema.

Na sexta-feira, 05, a Petrobras afirmou que o produto era oriundo da plataforma Marlim Leste, localizada na Bacia de Campos.

O óleo se encontrava estocado em reservatório, onde ocorreu o vazamento para o mar. Justamente por estar estocado em reservatório, o óleo sofreu mudanças de temperatura e adquiriu mais viscosidade, o que evitou que o acidente fosse mais grave. Em contato com a água do mar o óleo se agrupou em pelotas de diversos tamanhos e flutuou até o litoral das cidades da Região dos Lagos, alcançando as praias.

Arraial do Cabo foi a cidade que mais sofreu com o problema. A descoberta da origem do óleo foi possível após a análise do material coletado logo no primeiro dia de vazamento.

“Felizmente houve uma resposta rápida dos três municípios e a pronta intervenção dos órgãos ambientais, como Ibama, Inea e ICMBio.  Podemos afirmar que a enseada conhecida como ‘Saco do Cherne’ salvou nossas praias de um estrago maior, pois a mancha de óleo ficou ‘presa’ nesse local e ali foi feita a contenção e é onde estão concentradas as ações.  O óleo, segundo a Petrobras, é proveniente de um reservatório do campo de Marlim Leste, que sofreu uma fissura e vazou. Essa identificação foi possível porque cada óleo tem o seu ‘DNA’ próprio, ou seja, é possível rastrear sua origem.  Por não ser um óleo novo, ele veio nessa forma de ‘pelotas’, com menor potencial de danos”, explicou.

Vale lembrar que as equipes da Petrobras continuam no trabalho de limpeza das praias dos três municípios e de contenção da mancha na Enseada do Cherne, e foi acertado que continuarão com as ações até a véspera da Semana Santa, para garantir a limpeza das praias.

Mais lidas do mês